PAPO SEGURO - Quando e como começar a alimentação complementar da criança

PAPO SEGURO - Quando e como começar a alimentação complementar da criança

Numa parceria de cooperação técnica entre  a Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia, Programa Excelsior Saúde e o Portal Saúde no ar, apresentamos mais uma temporada do Quadro: Papo Seguro: diálogos sobre alimentação e nutrição em tempos de pandemia. Uma forma de interação de maneira mais próxima e imediata com a população em geral, buscando fornecer informações seguras e orientações nutricionais em tempos  do Novo Coronavírus.

Professores da Escola de Nutrição da UFBA contribuem semanalmente com conteúdos inéditos, apresentando  temas sobre alimentação e nutrição durante a pandemia da Covid-19 .

Nesta edição : Quando e como começar a alimentação complementar da criança

 

Texto na íntegra e Podcast: 

Olá! Eu sou Jerusa Santana, nutricionista materno infantil e professora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e eu sou Emily Porto, estudante de nutrição na UFRB. Está começando agora o Papo Seguro, a nossa conversa semanal sobre saúde, alimentação e nutrição em tempos de pandemia.

Prof, a senhora sabia que a introdução alimentar é um período temido por várias mamães e muito disso é devido à falta de informações sobre a melhor forma de realizá-la? Sim Emily, e por isso o tema de hoje é quando e como começar a alimentação complementar da criança. O Ministério da Saúde recomenda que após os seis meses, além do leite materno, os alimentos sólidos devem fazer parte da alimentação da criança. Para começar esta etapa é importante observar se a criança já consegue sentar e manter-se nessa posição sem ajuda e se mostra interesse pela refeição tentando levar o alimento a boca

Então estes já são os sinais de que seu filho já está pronto para comer!! Ah, o segredo é ter paciência, observar a idade do seu filho e respeitar o seu desenvolvimento. O processo de introdução alimentar é complexo, exige paciência e dedicação, então nada de se cobrar e criar expectativas heim!?

Verdade, e é normal os bebês rejeitarem alguns alimentos no primeiro contato, imagine que é tudo novo para eles, a comida, a colher. Pense que ele tomava apenas líquido e do nada aparece um alimento para mastigar!!. Sim, muito complexo mesmo, e esta rejeição não significa que a criança não gosta do alimento, significa que ela está se adaptando a todas estas mudanças. Por isso não desista, deixe passar alguns dias e ofereça novamente o alimento.

A introdução dos alimentos deve ser de forma lenta, comece por um alimento que faz parte do hábito da família, desde que seja alimentos naturais, não é necessário a adição de sal, nem açúcar as preparações. Use alimentos variados como cereais (arroz, aveia, milho verde, macarrão), raízes, feijões, frutas, carnes, peixes e ovos. Recomenda-se que aos seis meses além do leite materno a criança deva começar lentamente a receber três refeições (lanches da manhã e da tarde e o almoço) e ao completar sete meses incluir o jantar.

É bom lembrar também professora, que no início, a criança deve receber comida amassada com garfo, e em seguida evoluir para alimentos picados em pequenos pedaços, raspados ou desfiados para incentivar a mastigação.  Outra possibilidade, Emily, é a oferta de alimentos bem cozidos e em pedaços grandes para estimular a criança a pegar com a mão e levar à boca.  Quando estiver maior por volta de um ano, poderá oferecer a comida da família, desde que esta seja saudável.  Ah professora, antes que eu esqueça, os cuidadores precisam oferecer água para sua criança, mas evitar o suco antes de 1 ano de vida, preferir sempre a fruta ou papa de fruta!

Isso mesmo Emily. Então é isso pessoal, não fiquem preocupadas ou com medo desse momento, mas fiquem atentos ao modo de ofertar e introduzir a alimentação complementar para a criança, isto vai ser importante para o desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis. Abraços até o próximo papo seguro!

Podcast – Quando e como começar a alimentação complementar da criança

Por:  Jerusa Santana e Emily Porto

PRODUÇÃO:  Emily Porto e Jerusa Santana

REVISÃO: Adriana Mello, Lilian Lessa, Nedja Santos, Valterlinda Oliveira, Valéria Camilo

 

 

Ouça:

O  Excelsior Saúde é exibido de segunda à sexta-feira, das 9 às 10h, com transmissão pelas Rádios Excelsior AM 840 e Saúde no ar (web). Acompanhe pelo site: https://redeexcelsior.com.br ou pelo aplicativo Rádio Saúde no Ar. Participação pelo  whats app (71) 9-9681-3998.

Acompanhe também os conteúdos no portal: https://www.portalsaudenoar.com.br/.

Confira todas as edições anteriores acessando esse link: Edições Papo Seguro

Entrevistas do Papo seguro:

Entrevista 1 – Nutrição em tempos de pandemia

Entrevista 2 – Nutrição e imunidade 

Entrevista 3 – Aproveitamento integral dos alimentos 

Entrevista 4 – Alimentação e nutrição na infância 

Entrevista 5-  Preparos Saudáveis 

Entrevista 6- Comer consciente

Entrevista 7 – Alimentação e ansiedade

Entrevista 8 – Alimentos juninos

Sobre a ENUFBA

A Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia (ENUFBA) foi criada em 28 de maio de 1956, sendo o primeiro curso de bacharelado em Nutrição da região nordeste do país e o quarto do Brasil. Em 2009, foi criado o bacharelado em Gastronomia. A ENUFBA mantém desde a sua criação a missão de formar profissionais tecnicamente qualificados, capazes de refletir criticamente sobre as necessidades da sociedade brasileira e atuar profissionalmente de modo orientado pela ética e compromisso social da profissão. A ENUFBa tem como destaque o desenvolvimento de atividades interdisciplinares integrando ensino, pesquisa e extensão.Professores da ENUFBa, estarão toda segunda no quadro “Papo seguro”,

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *