"Conversando com o especialista" discute o HTLV

"Conversando com o especialista" discute o HTLV

HTLVO Saúde no Ar desta terça-feira (28.07) leva para o quadro Conversando com o especialista os problemas causados pelo HTLV, um retrovírus da mesma família do HIV, que infecta a célula T humana, um tipo de linfócito importante para o sistema de defesa do organismo.

O HLTV foi isolado, em 1980, em um portador de um tipo raro de leucemia e ocorre com mais frequência em certas regiões geográficas específicas, como o Japão, Caribe e alguns países africanos.
No Brasil, o HTLV é um problema de saúde pública, apesar de o número de pessoas infectadas ser proporcionalmente baixo, em relação a outras doenças virais.

Existem dois tipos desse vírus: o HTLV-I e o HTLV-II. O primeiro está associado a doenças graves neurológicas degenerativas (paraparesia espástica tropical) e hematológicas, como a leucemia e o linfoma de células T humana do adulto (ATL). Polimiosites, poliartrites, uveítes e dermatites são enfermidades que parecem relacionadas com esse tipo de vírus.

Quanto ao segundo tipo, ainda não foi plenamente esclarecida sua ligação com alguma patologia determinada. No entanto, a infecção pode ser absolutamente assintomática. Quando se manifestam, são sintomas indicativos de doença neurológica: dor na batata da perna e nos pés, na coluna lombar, fraqueza, dormência e formigamentos nos membros inferiores, perturbações urinárias, descamação, gânglios infartados, alterações visuais e ósseas.

Muitas vezes, a pessoa descobre que é portadora do HTLV, por acaso, quando vai doar sangue, por exemplo. No entanto, tomar conhecimento da infecção é fundamental para controlar a transmissão do vírus.

Quem vai falar sobre esse vírus tão perigoso é o infectologista Claudilson Bastos, médico do Hospital Aliança e preceptor da Residência Médica em Infectologia do Hospital Couto Maia.

O programa, conduzido por Patrícia Tosta, vai ao ar a partir das 8h na Rádio Excelsior da Bahia (AM 840), podendo ser sintonizado também na nossa Rádio Web, no site www.portalsaudenoar com.br. Os interessados podem fazer perguntas através do telefone 3328.7666 ou do WhatsApp 9681.3998.

A.V.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *