Cuidados domiciliares em foco

Cuidados domiciliares em foco

entrevista 21.01

A prestação de cuidados domiciliares no Brasil no início do século foi valorizada e tida como atividade prioritária no combate às grandes endemias que assolaram os grandes centros. Este cuidado era feito por intermédio de visitas domiciliares. A partir de então, foi reconhecida a necessidade de formação de profissionais para este exercício. Esta formação estava direcionada à prestação do cuidado para o doente ou para os fatores de risco de determinados agravos e não para a família como grupo social.

Com a institucionalização do Sistema Único de Saúde – SUS, a partir da Lei Federal nº 8080/90 (BRASIL, 1990), algumas estratégias foram pensadas e implementadas para a consolidação do seu modelo. Uma delas foi a proposta do Ministério da Saúde, em 1994: O Programa de Saúde da Família – PSF (Fundação Nacional de Saúde, 1996).

No caso do atendimento domiciliar realizado pelos serviços de Home Care, na maioria das vezes há mais ações voltadas para a atenção secundária e terciária, que consistem no tratamento do agravo, até mesmo internações domiciliares e acompanhamento na reabilitação do paciente.

Atendimento domiciliar conceitua-se como o conjunto de procedimentos hospitalares passíveis de serem realizados no ambiente domiciliar do paciente, englobando ações de saúde de equipe multiprofissional, baseadas em diagnóstico da realidade que o paciente vive, buscando a promoção, manutenção e reabilitação da saúde. Entre os procedimentos incluem simples de enfermagem, internações domiciliares e até mesmo assistência no domicílio daqueles pacientes considerados pelos médicos como fora das possibilidades terapêuticas.

A equipe multiprofissional que compõe um cuidado domiciliar formal deve ser composta por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, nutricionista e fisioterapeuta. Conforme a complexidade do atendimento ao paciente, sua patologia e prognóstico, os profissionais em conjunto devem estipular as condutas de tratamento a serem seguidas e a possível necessidade de outro profissional.

Confira mais informações sobre Cuidados domiciliares em entrevista com a Sócia Diretora da Bom Cuidar, Cláudia Pedrosa.

Redação Saúde no Ar*

(A.P.N.)        

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *