UNICAMP conclui em laudo que substância e equipamento simples são eficazes para inativação de COVID-19

UNICAMP conclui em laudo que substância e equipamento simples são eficazes para inativação de COVID-19

Foi pensando na reabertura dos estabelecimentos comerciais e públicos que o empreendedor e engenheiro Alaor Ferreira da Cruz Junior criou em sua startup em Goiânia, a Asepsis Machine, uma máquina que auxilia na desinfecção de pessoas, roupas e equipamentos. Após diversos testes, o Laboratório de Virologia do Instituto de Biologia da Unicamp, concluiu que a cabine de desinfecção foi eficaz para a inativação e destruição de partículas virais. Em 15 segundos de contato, o vírus foi inativado em 99,99%.

Para  funcionamento da Asepsis Machine, basta apenas estar ligada em uma tomada de energia elétrica para que 60 micropontos lancem jatos com clorexidina a 1% para promover rapidamente a esterilização do que estiver em seu interior. O dispositivo está em conformidade com as especificações da NR12 (norma regulamentadora que tem por objetivo garantir que máquinas e equipamentos sejam seguros para o uso do trabalhador). É indicada para empresas, estabelecimentos comerciais, espaços como estádios, shoppings, bares, restaurantes, academias, além de ambientes hospitalares.

Com rodas que facilitam o deslocamento, a máquina tem 93 cm de largura, 2,18 m de altura, 1,70 de comprimento e é fabricada com uma estrutura de aço inox, vidro temperado 8mm, alumínio, policarbonato, acrílico e ACM. Funciona em 220 ou 110 volts, com baixo consumo de energia. Com um detector que identifica quando o indivíduo está dentro da câmara, a Asepsis Machine fecha as portas e o processo de antissepsia se inicia.

Para conhecer, acesse: Asepsis Machine

Veja também: Europa vive possível 2ª onda de casos da covid-19 e volta a ser preocupação

Mais quatro centros vão iniciar testes com vacina chinesa no Brasil

OMS diz que pandemia de Covid-19 é “uma grande onda”, não é sazonal

Imunidade coletiva ao novo coronavírus pode ser alcançada com até 20% dos infectados

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *