Obrigado, obrigado, Salvador Itapagipe

*Geraldo Leite

Recebi das mãos do presidente Silvino Bastos o troféu Rosalvo Otacílio Torres, com o honroso título de Sócio Honorário do Rotary Club Salvador Itapagipe.
A vida de Rosalvo Otacílio Torres é um exemplo para todos nós.
Rosalvo, diz seu neto Otacílio, nasceu em uma família humilde e conheceu a dupla orfandade na infância mais remota. Criado por uma tia, tinha como único brinquedo um carrinho de madeira construído por ele próprio. Ia e vinha da escola a pé, porque não tinha dinheiro para o transporte. Durante o lanche da escola, bebia água para mitigar a fome, pois não tinha como comprar merenda.
Matriculou-se nas Faculdades de Direito e de Filosofia da UFBa. Tornou-se um advogado de renome, Juiz do Trabalho, Desembargador e Presidente do Tribunal da 5ª Região.
Iniciou a vida rotária em 1959, ingressando no Rotary Club Bahia Norte, nele permanecendo até o final da vida. Presidiu seu clube por mais de uma vez, e foi Governador do Distrito 4550. Representou o Distrito no Conselho de Legislação reunido em Singapura, em 1989, oportunidade em que se tornou responsável pelo ingresso das mulheres nos clubes rotários. Representou o Presidente do Rotary Internacional em várias Conferências Distritais.
Sua filha Maria Auxiliadora seguiu os passos do pai: foi a primeira mulher a ingressar no Rotary (em nosso Distrito), a primeira presidente e a primeira Governadora. O neto, Otacílio Torres, trilha o mesmo caminho: será o próximo presidente do Bahia Norte e depois, por certo, Governador…
***
Quem leu o “Tratado da Gratidão” de São Thomaz de Aquino percebe que há três níveis de gratidão: o superficial, cognitivo, simples reconhecimento; o intermediário, da graça ou da mercê; e o mais profundo, o de vinculação.
Quando o inglês diz “thank you” e o alemão diz “zu dank”, estão agradecendo no nível superficial; na verdade querem dizer “eu reconheço que você me fez um favor, uma gentileza”. Quando o francês diz “Merci”, está agradecendo num nível intermediário; na verdade ele quer dizer: “eu desejo que Deus lhe dê uma mercê”. Este também é o caso do espanhol que diz “Gracias” e do italiano que exclama “Grazie”. Mas quando o português, ou brasileiro, diz “Obrigado”, ele está agradecendo no nível mais profundo da gratidão. Em outras palavras, ele está dizendo “Eu me sinto obrigado”, ou “eu me sinto vinculado a você”.
Essa assertiva se torna mais forte quando — como no meu caso — vem acompanhada do diploma de Sócio Honorário…
Esta é a razão porque digo, de coração;

*Geraldo Leite

Membro da Academia de Medicina da Bahia, Academia Baiana de Educação, Academia de Cultura da Bahia, Academia de Educação de Feira de Santana, Academia Feirense de Letras, Academia de Ciências, Letras e Artes de Buenos Aires, Academia Brasileira Rotária de Letras e Academia Brasileira Rotária de Letras, Seção do Estado da Bahia. Ex-Reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana e Ex-Diretor da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Presidente da Fundação José Silveira.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *