Vacinação: Cientistas criticam falta de prioridade a pobres e negros

Vacinação: Cientistas criticam falta de prioridade a pobres e negros

De acordo com pesquisadores a  vacinação contra a Covid-19 acentuará ainda mais a nossa desigualdade social e racial. Segundo a pesquisa, isso irá acontecer por que pobres e negros, apesar de mais vulneráveis à pandemia por uma série de fatores, não receberam prioridade no Plano Nacional de Imunização; dessa forma continuarão mais expostos ao vírus que o restante dos brasileiros. Por conta disso, cientistas defendem que esta parcela da população faça parte do grupo de prioridades do PNI.

Segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); bem como da UFRJ,  trabalhadores negros no Brasil correm risco 39% maior de morrer de Covid-19 do que os brancos.  Além disso, pesquisa publicado na revista britânica Public Health revela que brasileiros com educação superior (e brancos são 70% do total neste importante indicador de renda) correm risco 44% menor de serem vítimas fatais do vírus.

De acordo com a pesquisa, já que os pobres, em especial os negros, são obrigados a se expor mais; por conta disso adoecem mais e morrem mais de Covid-19 no Brasil; é preciso e necessário que haja uma prioridade para eles. A pesquisa, revela que o pobre é quase sempre negro. De acordo com o IBGE a população negra chega a 75,2% da camada com menor renda. Ainda assim, também são negros dois terços dos desempregados.

A pesquisa britânica revela que nos hospitais do Brasil negros têm maior taxa de mortalidade (42%) que brancos (37%). Além disso, têm menos acesso a recursos.

 

 

Campanha Vidas Importam 

Veja também: Rússia diz que vacina Sputnik V já está em produção no Brasil

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *