A saúde do trabalhador rural

A saúde do trabalhador rural

trabalhador-ruralSer trabalhadora e ter oportunidade de falar sobre uma realidade encontrada nos ambientes de trabalho é muito importante e necessário. Primeiro de maio, comemora-se o Dia do Trabalho. Na realidade não temos muito, o que comemorar, no entanto, é um dia importante para toda a classe trabalhadora, seja ela, formal ou informal, haja vista, que todos contribuem e movimentam a economia do Brasil.

Essa data, 1º de Maio, foi criada em 1889, em Paris, para homenagear os trabalhadores americanos, das fábricas de Chicago, que brigavam por melhores condições de trabalho. Muitos deles foram mortos, presos e outros sofreram violência.

As condições de trabalho, no Brasil, são preocupantes. E no campo constituem precarização e o descaso com a classe trabalhadora.

O não cumprimento da Norma Regulamentadora-NR 31, por parte dos patrões, e a desinformação dos agricultores familiares expõem os trabalhadores aos agentes e situações de risco causadores de acidentes e doenças ocupacionais.

Destaco o uso indiscriminado e irresponsável dos agrotóxicos por serem cancerígenos.

Outras situações inadequadas, perigosas e desumanas, presentes no trabalho rural, são os meios de transporte, os abrigos para as refeições, instalações sanitárias inexistentes, o não fornecimento de água potável.

Chamo à atenção para a Lei da reforma trabalhista nº 13. 467 de 2017 que regulamenta a precarização do trabalho no Brasil e o trabalho análogo ao de escravo. Tudo isso para atender a bancada ruralista e instalar a escravidão no campo. Consequentemente, refletirá, drasticamente, na saúde física e mental da classe trabalhadora.

Wéltima CunhaO assunto foi tema do quadro “Meio ambiente e Saúde”, veiculado às quartas-feiras pelo programa Saúde no Ar.

 

 

 

Ouça o comentário da professora do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia da Bahia-IFBA-Vitória da Conquista.

 

LOGO NUTRIÇÃO UFBADesde o ano de 2017 a Escola de Nutrição/UFBA,desenvolve o projeto de Extensão,“Nutrição, meio ambiente e saúde no ar: comunicação em saúde e cidadania”, sob a coordenação da Profa Ma.Neuza Maria Miranda dos Santos e colaboração do Grupo Germen, e da  aluna bolsista do projeto Permanecer, Thuane Policarpo.

Para participar do Projeto que tem como objetivo apresentar e discutir temas de saúde, em seu conceito ampliado, além de difundir informações científicas sobre nutrição, alimentação saudável e qualidade de vida, basta enviar perguntas ou sugestões de temas para o email: produção@portalsaudenoar.com.br ou uma mensagem de texto ou áudio para o WhatsApp: 71-9968-13998.

Redação Saúde no Ar

Fonte: Wéltima Cunha-IFBA-VC

Foto:Internet/Wéltima Cunha 

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *