Semana de Mobilização Nacional de combate ao Aedes aegypti

Semana de Mobilização Nacional de combate ao Aedes aegypti

Foi inciada em Salvador nesta segunda- feira e prossegue até o dia 06, sexta- feira, a Semana Nacional de Combate ao Aedes Aegypti, com foco na prevenção das doenças causadas pelo mosquito.

Nesse período, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) em parceria com LIMPURB intensifica os mutirões de limpeza. Os bairros contemplados serão: São Cristóvão, Mussurunga, Curralinho, Ondina, Alto do Cabrito, Curuzu, Paripe e Coutos.

Haverá um dia D na sexta-feira (06) com evento de encerramento na praça de Irmã Dulce, na Cidade Baixa, com stands, atividades voltadas para crianças, no intuito de formar consciência sobre o combate ao Aedes desde cedo.

“Estamos nos aproximando do período de maior risco que é a estação do verão. Nos meses de janeiro a abril, a estratégia reforçará a necessidade de uma rotina de eliminação de criadouros para aumentar a cobertura do município livre do vetor da dengue, zika e chikugunya”, afirma a coordenadora do CCZ, Andrea Salvador.

Os agentes de combate às endemias farão as visitas casa a casa para identificação e eliminação dos criadouros do inseto, bem como, realizarão o trabalho de borrifação de inseticida para diminuir a infestação do vetor na fase adulta, reduzindo assim, o risco de transmissão das doenças.

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) vai atuar em parceria com os órgãos do comitê de arboviroses da capita baiana: Secretaria Municipal da Educação, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-BA), Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), Secretaria Municipal de Gestão (Semge), Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), LIMPURB, Fiocruz, Corpo de Bombeiros, Defensoria Pública do Estado e Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz).

A semana de combate ao mosquito contará com diversas atividades em parceria com os órgãos: inspeções vetoriais em praças, terreiros, hotéis e unidades de saúde; ação chaveiro em imóveis fechados com possíveis focos; inspeções em parques da embasa; mutirões de limpeza com a Limpurb; aplicação de inseticida e larvicida, além de ações educativas como panfletagem em locais de alta circulação de pessoas.

Durante os próximos dias, os profissionais realizarão as ações em diversos bairros da cidade. “Estamos nos aproximando do período de maior risco que é a estação do verão. Nos meses de janeiro a abril, a estratégia reforçará a necessidade de uma rotina de eliminação de criadouros para aumentar a cobertura do município livre do vetor da dengue, zika e chikugunya”, afirma a coordenadora do CCZ, Andrea Salvador.

 

Índice de Infestação – O último Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), realizado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) revelou que a capital baiana apontou ainda que o Índice de Infestação Predial (IIP) no município teve uma redução em relação ao levantamento anterior realizado em julho desse ano, onde de 2,7% para 2,2%. Ou seja, a cada 100 imóveis visitados, aproximadamente dois apresentaram focos do mosquito. Salvador reduziu também o número de bairros com alto risco endêmico, passando de 14 para 9 localidades com indicador acima de 4%.

 

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *