Salvador conta com mais um centro de atendimento à mulher

 Salvador conta com mais um centro de atendimento à mulher

Salvador-ganha-novo-centro-de-atendimento-à-mulher-500x500_c

Em comemoração aos 469 anos da capital baiana, celebrado no último dia 29 de março, foi entregue à cidade um centro de atendimento à mulher. Trata-se do Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce, localizado na Rua Lélis Piedade, na Ribeira.

Foi inaugurado na tarde desta quarta-feira (4) pelo prefeito ACM Neto  ACM Neto e pela titular da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), Taissa Gama.

O centro faz parte das ações do programa Mulher 360. Programa este, que busca ajudar no acolhimento, orientação e encaminhamento jurídico, atendimento psicológico  e social dessas moças.

 “Esse evento hoje é uma das ações integrantes do Mulher 360 e do planejamento estratégico da nossa Prefeitura, que tem dado prioridade ao atendimento às mulheres. Quando assumi a Prefeitura, acontecia o inverso. O Centro de Referência Loreta Valadares, por exemplo, estava abandonado. Nós requalificamos o equipamento e demos condições muito melhores para que o público feminino fosse atendido. E hoje estamos inaugurando um segundo centro, que vai englobar toda essa área da Cidade Baixa e do Subúrbio”, discursou ACM Neto.

Taissa Gama lembrou que a região do Subúrbio é aquela que mais apresenta registros de violência contra as mulheres. “Por isso esse centro era tão importante dentro dessa política da Prefeitura de criar uma rede de proteção e amparo psicossocial, inclusive para aquelas que são mães. Hoje Salvador é referência nesse tipo de atendimento em todo o país. E, por isso, as mulheres estão cada vez mais procurando a Prefeitura em busca de auxílio”, declarou.

Funcionamento 

O novo centro é um espaço não sigiloso que pode acolher mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, como também aquelas egressas do tráfico de pessoas que não estejam em risco iminente de morte, acompanhadas ou não de filhos de 0 a 12 anos. O abrigo provisório deve garantir a integridade física e emocional dessas mulheres, bem como realizar diagnóstico da situação em que elas se encontram, a fim de encaminhamentos futuros.

O imóvel possui 450 m² de área construída e conta com recepção, quatro salas de atendimento, quatro sanitários, três quartos, brinquedoteca, biblioteca, sala para grupo terapêutico, sala de TV, copa, cozinha, área de serviço, administrativo, dois almoxarifados, salão para oficinas, espaço para ginástica, parque infantil e horta. Serão ofertados no espaço serviços vinculados às atividades de Centro de Referência Loreta Valadares, que têm como objetivo atender à mulher em situação de violência doméstica, familiar e de gênero, sem discriminação, com trabalho orientado sob o princípio da escuta qualificada, além de acolhimento provisório de curta duração, de até 15 dias.

A capacidade é de receber 200 mulheres por mês para os atendimentos do centro e 36 pessoas no acolhimento provisório de curta duração. Além disso, o Centro Irmã Dulce vai oferecer, a exemplo do Loreta Valadares, atendimento multidisciplinar com equipe de 25 profissionais envolvidos, entre psicólogas, assistentes sociais, psicopedagoga, advogada, recepcionista, supervisoras, coordenadora, serviços gerais, motorista, plantonistas, copeira e guardas civis.

Loreta Valadares 

No quesito de enfrentamento a violência contra a mulher, Salvador também dispõe de outro espaço voltado ao público feminino: o Centro de Referência Loreta Valadares, situado nos Barris. O espaço recebe mulheres por demanda espontânea, ou seja, qualquer vítima pode ter acesso aos serviços disponibilizados através do espaço comparecendo apenas no local.

continue lendo depois da publicidade !

principal 2.fw

 

 

 

 

 

 

O Loreta Valadares oferece orientação jurídica e psicológica ao público feminino, além de apoio pedagógico para os filhos das vítimas com idade até 12 anos, enquanto as mães realizam atendimento no centro. Há ainda uma série de atividades, palestras e cursos que promovem a elevação da autoestima e o empoderamento feminino. São ofertadas, por exemplo, aulas de biodança e yoga.

Redação Saúde no Ar

Fonte:G1

Foto:internet

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *