Rede de hospitais Ebserh promove ações prol da segurança do paciente

Rede de hospitais Ebserh promove  ações prol da segurança do paciente

85fa36bd-b6c7-47ff-9142-a3f194f4fc07Nos meses de abril e maio a Rede de hospitais Ebserh, vai realizar ações em prol da segurança do paciente. Tendo como objetivo sensibilizar profissionais de saúde e pacientes para a segurança baseada nas metas do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP), do Ministério da Saúde (MS), por meio de ações educativas e lúdicas.

Em Salvador (BA), o Hospital Universitário Professor Edgard Santos promoveu a III Semana de Segurança do Paciente com atividades itinerantes educativas e treinamentos com as equipes das unidades do cuidado, objetivando divulgar as boas práticas realizadas na instituição em prol da segurança do paciente, incluindo a disseminação dos documentos institucionais relacionados à Segurança do paciente.

Em Aracaju (SE), o Hospital Universitário criou uma campanha para sensibilizar profissionais de saúde e pacientes sobre práticas de segurança em processos assistenciais, abordando o terceiro desafio global de segurança do paciente, que é a medicação sem dano, por meio de distribuição de folders e a realização de um jogo interativo.

Em Petrolina (PE), profissionais e estudantes do Hospital Universitário se reuniram para o “I Simpósio de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente do Vale do São Francisco” para discutir sobre práticas e diretrizes voltadas à prestação de uma assistência livre de danos aos pacientes. O simpósio recebeu mais de 600 inscritos interessados em participar das palestras, mesas redondas, minicursos e exposições de trabalhos científicos que abordaram assuntos relacionados ao tema: “Excelência do Fator Humano para a Segurança do Paciente”.

Em Santa Cruz (RN), o Hospital Universitário Ana Bezerra realizou a Semana de Qualidade e Segurança na Assistência ao Paciente, em que foram apresentadas as principais estratégias de qualificação da assistência, principalmente aquelas relacionadas ao gerenciamento de risco assistencial e tecnológico. Houve o reforço para a equipe em relação aos mais diversos protocolos relacionados à Segurança do Paciente, já implantados no HUAB, tais como o de Higienização das Mãos e Identificação Segura e que contou com interessantes ações itinerantes. Também foram destacadas as ações de qualificação da assistência.

A semana da Segurança do Paciente da Maternidade Escola Januário Cicco, em Natal (RN), teve como tema “Comunicar é Preciso”, A ideia deste ano foi trabalhar a comunicação e a construção da cultura de segurança do paciente, com a realização de rodas de conversas direcionadas aos pacientes e acompanhantes, stand interativo, reunião científica e distribuição de material informativo.

Em São Carlos (SP), o Hospital Universitário fez uma programação de encontros durante os meses de abril e maio, que incluir palestras para a discussão de necessidades específicas do hospital. Na programação constam os seguintes temas: “A Segurança do Paciente como Primeira Dimensão da Qualidade”, “Assistência de Enfermagem na Transfusão de Hemocomponentes”,“Prevenção e Tratamento de Lesão por Pressão”, “Boas Práticas para a Prevenção de Infecção da Corrente Sanguínea associada ao uso de Cateteres”, “Higienização das Mãos”, “Gerenciamento de Riscos e Segurança do Paciente: qualidade na assistência à saúde e prioridade para a acreditação hospitalar” e “A Promoção da Cultura de Segurança no Ambiente Hospitalar”.​

NO Distrito Federal, o Hospital Universitário de Brasília abriu inscrições para evento em que trabalhadores, estudantes e residentes poderão esclarecer dúvidas sobre o uso correto do sistema de gestão de riscos e segurança do paciente (Vigihosp). Este ano, a campanha lança uma mudança, com a entrega durante o evento da placa de premiação às áreas que atingem os melhores índices em segurança do paciente. Esse reconhecimento passa agora a ser trimestral e não mais anual. Outra novidade é o lançamento dos Guardiões da Segurança do Paciente, profissionais que ajudam na elaboração de protocolos assistenciais e são porta-vozes da segurança onde atuam.

O Hospital Universitário de Santa Maria (RS) elaborou uma campanha para sensibilizar trabalhadores, residentes, acadêmicos, pacientes e acompanhantes sobre o uso correto do celular e como higienizá-lo. A maior preocupação é com a contaminação cruzada, pois o celular pode carregar bactérias, se não for bem limpo, e é passível de transmitir infecções. Além da contaminação, o barulho resultante do uso excessivo inviabiliza o devido repouso e, portanto, interfere na reabilitação do paciente.

Em Manaus (AM), o Hospital Universitário Getúlio Vargas teve, em sua programação, um stand no saguão de entrada do hospital e rodas de conversas em todos os andares onde existem serviços assistenciais. Também houve ações voltadas aos usuários do hospital e aos acadêmicos e residentes de medicina que atuam no HU.

No Rio de Janeiro, o Hospital Universitário Gaffrée e Guinle realizou palestras e divulgação das campanhas: “Parceiros do Núcleo”, abordando a importância de ações de segurança e a notificação dos incidentes; e “- É +: Menos Adornos, Mais Segurança”, que mostrou o risco da utilização de determinados utensílios em ambiente hospitalar.

O Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD) iniciou uma nova estratégia de gestão, em busca de ações para a redução em 50%, até dezembro de 2020, das infecções relacionadas à assistência à saúde nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para adultos. Por meio de visitas aos locais de trabalho, os responsáveis pela gestão do hospital podem verificar as condições do setor, reconhecer a realidade cotidiana das linhas de frente da assistência e ouvir das equipes quais as dificuldades, opiniões, anseios e sugestões. A metodologia adotada é a de formular à equipe perguntas abertas, para que surjam respostas autênticas e para que o aprendizado contínuo possa ser estimulado.

Dez atividades mobilizaram colaboradores da Maternidade-Escola Assis Chateabriand, em Fortaleza (CE). Dentre outras ações, houve mesa-redonda, construção do protocolo de Comunicação para a Segurança do Paciente, curso de monitoramento clínico de pacientes com reações adversas a medicamentos, discussão dos indicadores da Cirurgia Segura, visita multiprofissional à UTI adulto e painel informativo itinerante. O destaque este ano foi para o engajamento de várias unidades e setores que contribuíram para a diversidade da abordagem do tema.

Sobre a Ebserh

Estatal vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do SUS, e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Redação Saúde no Ar

Foto:Rede Ebserh

Fonte:Rede Ebserh

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *