Presidente da Anvisa condena ampliação de remédios com canabidiol

Presidente da Anvisa condena ampliação de remédios com canabidiol

JarbasBarbosaO presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, se colocou contra a ampliação da indicação terapêutica do canabidiol, substância presente na maconha. A posição foi colocada  depois da aprovação do uso para casos de epilepsia grave em crianças e adolescentes e que movimentos de pacientes e familiares começaram a pressionar para ampliar as indicações.
Barbosa lembra que não há estudos de eficácia sobre o uso do canabidiol. “Foi feita a decisão, acertada, de permitir o uso para casos em que não há alternativa terapêutica”. Mas ele diz que, com exceção do caso já previsto pela Anvisa, não há outra doença que já não haja medicamentos disponíveis e eficazes. “Queremos evitar que sejam feitas no Brasil pesquisas com a substância fora do padrão ético.” 

 

Crítica às regras 

O presidente da Anvisa criticou ainda as regras preparadas pela autarquia para pôr em prática o sistema de rastreamento de remédios, e disse esperar do Congresso a aprovação de projeto para ampliar para dez anos o prazo de entrada em vigor da estratégia, criada para inibir falsificações e contrabando.

Pela lei atual, o sistema deveria entrar em funcionamento em dezembro. A rastreabilidade cria uma espécie de RG para todos os medicamentos no país. A ideia é acompanhar a trajetória dos produtos, desde que eles deixam a indústria até a venda para o consumidor.

A lei, de 2009, previa um prazo de três anos para o mecanismo funcionar. Por causa de divergências com a indústria, com distribuidores e com representantes de farmácias, a regulamentação atrasou. Pelas regras da Anvisa, a indústria teria de controlar as informações, como a quantidade do que foi vendido e as datas das vendas. Barbosa defende a criação de um banco público de informações, gerenciado pela agência.

Fonte: UOL com informações do jornal “O Estado de S. Paulo”.

A.V.

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *