Case de sucesso na saúde

Case de sucesso na saúde

bahiafarma e coreia

A parceria de transferência de tecnologia entre o laboratório público baiano Bahiafarma e a sul-coreana GenBody Inc, que resultou no desenvolvimento, entre outros, de testes rápidos para detecção de infecções por Zika, Dengue e Febre Chikungunya, foi usada como exemplo de sucesso no encontro entre empresários e líderes de governo coreanos e representantes de empresas e governos do Brasil promovido pela Agência de Promoção de Negócios e Investimentos da Coreia (Kotra) nesta segunda-feira (24), em São Paulo.

Presente ao evento, chamado Conferência Brasil-Coreia da Indústria Médico-Farmacêutica, o ministro da Saúde do país asiático, Chin-Yuob, qualificou a parceria entre Bahiafarma e Genbody como case de sucesso e, citando o diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, apontou o acordo como "um exemplo a ser seguido" por outras empresas e instituições interessadas em desenvolver negociações bilaterais.

Palestrante do evento, Ronaldo Dias explicou aos participantes como o acordo entre os laboratórios foi elaborado e apontou caminhos para estabelecer parcerias vantajosas aos dois países. "Nosso modelo, que resultou na aquisição, por parte do Ministério da Saúde, dos kits de diagnóstico rápido de arboviroses, serve como inspiração para o desenvolvimento de novos acordos nesse setor", afirma. "Parcerias assim fortalecem a saúde pública do Brasil e trazem benefícios à população brasileira".

A Bahiafarma- A Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma) é um laboratório farmacêutico público que tem como objetivo desenvolver e fornecer produtos, serviços e inovação tecnológica para a saúde pública do País.

A Bahiafarma integra a administração pública indireta do Poder Executivo do Estado da Bahia, vinculada à Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). Tem como metas minimizar a dependência de importação de produtos e tecnologia, atuando de forma competitiva e econômica para o Sistema Único de Saúde (SUS), e contribuir para a descentralização da indústria farmacêutica, farmoquímica e biotecnológica no País, hoje concentrada no eixo Rio/São Paulo.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *