Ministério da Saúde, em busca de solução para combater resistência aos antimicrobianos

Ministério da Saúde, em busca de solução para combater resistência aos antimicrobianos

alx_disco_com_bacterias_original2Para incentivar e apoiar as pesquisas sobre a Resistência aos Antimicrobianos, o Ministério da Saúde, neste mês abril, lançou dois editais  com o intuito de buscar soluções para enfrentar esse problema, que é mundial.

Essas ações são parte do Plano de Ação Nacional de Prevenção e Controle de Resistência aos Antimicrobianos.

A resistência aos antimicrobianos (RAM) é a capacidade de um microrganismo de resistir aos efeitos dos compostos utilizados para tratá-los, como antibióticos antifúngicos, antivirais, entre outros. Atualmente, é considerada como uma das principais ameaças à saúde da população mundial. O uso desmedido e irracional de antibióticos tem contribuído para o aumento deste problema.

Segundo relatórios da Organização Mundial da Saúde (OMS), é crescente o nível de resistência mundial. A lista de bactérias resistentes sofreu significativo aumento, de 7, em 2014, para 12, em 2017. Isso significa que, sem uma ação urgente, infecções comuns podem voltar a ser fatais. O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, está desenvolvendo inúmeras ações de incentivo à pesquisa para oferecer respostas a esse problema.

PLANO NACIONAL

A elaboração do Plano Nacional de Prevenção e Controle de Resistência aos Antimicrobianos é uma das ações para fazer frente ao problema. Essa ação envolve, além do Ministério da Saúde, diversos órgãos federais, como o da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. A publicação do Plano deve acontecer ainda esse ano, com as ações já em andamento e tem como finalidade assegurar a continuidade do tratamento e prevenção de doenças infecciosas, com qualidade garantida, medicamentos seguros e eficazes, que sejam acessíveis e utilizados de forma responsável. Para alcançar este fim, o plano contém cinco objetivos estratégicos, dentre eles “reforçar a base de conhecimento e evidência através da vigilância e investigação”.

A diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Camile Giaretta Sachetti, destaca que o MS vem priorizando o fomento à pesquisa na temática de RAM, por meio da articulação nacional e internacional.

FINANCIAMENTO DE PESQUISAS

O ministério da Saúde, em parceira com o CNPq, abriu hoje uma chamada pública de apoio a estudos sobre o tema no valor de 7 milhões. O objetivo é incentivar pesquisas em temáticas consideradas mais urgentes no contexto da resistência aos antimicrobianos. As inscrições estão abertas até dia 21 de maio e podem ser realizadas pelo site do CNPq

PARCERIA INTERNACIONAL

Também lançada hoje, a chamada pública em parceria com a Fundação Bill e Melinda Gates, irá oferecer recursos para até dez projetos de pesquisa com abordagens inovadoras para estabelecer a prevalência da resistência aos antimicrobianos no Brasil com foco em Saúde Única (animal e humana). Com recursos do Ministério da Saúde e do programa Grand Challenges, a chamada tem o valor total de um milhão de dólares. As inscrições estão abertas até o dia 28 de maio no portal da fundação.

PROADI-SUS

Além disso, o Ministério da Saúde viabilizará, pelo PROADI-SUS, o desenvolvimento de oito estudos para avaliar o perfil de resistência aos antimicrobianos no país. O objetivo dessa iniciativa é aprofundar o conhecimento sobre quais os principais organismos causadores de doenças nas diferentes localidades do Brasil. Esses projetos serão importante para orientar o tratamento empírico de pacientes, lançar bases para uma ação em nível local, nacional e regional, e monitorar a eficácia das intervenções realizadas.

ORIENTAÇÕES

Algumas ações individuais podem ajudar a combater a resistência aos antimicrobianos. Usar antibióticos somente quando o médico receitar, no tempo certo da prescrição, nunca compartilhar antibióticos nem usar prescrições antigas são algumas atitudes que a população deve tomar diante do problema.

Redação Saúde  no Ar

Fonte:Ministério da Saúde

Foto:internet

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *