Israel diz que matou 20 homens armados em ataque ao hospital Al-Shifa

Na última segunda-feira (18), tropas israelenses invadiram o complexo do Hospital Al-Shifa, em Gaza, dizendo ter matado 20 homens armados, em uma operação que as autoridades de saúde palestinas disseram ter causado múltiplas vítimas e desencadeado um forte incêndio em um dos edifícios.

De acordo com os militares israelenses, os soldados e forças especiais conduziram uma “operação precisa” com base na inteligência de que o hospital estava sendo usado por líderes seniores do Hamas e foram alvejados quando entraram no complexo.

“Vinte terroristas foram eliminados no hospital de Al-Shifa até agora em vários combates, e dezenas de suspeitos detidos estão atualmente em questão”, disse o comunicado em comunicado.

O Al-Shifa, o maior hospital da Faixa de Gaza antes da guerra, é agora uma das únicas instalações de saúde que está parcialmente operacional no norte do território, e também alberga centenas de civis deslocados.

Segundo o Ministério da Saúde de Gaza, administrado pelo Hamas, disse que um incêndio eclodiu na entrada do complexo hospitalar, causando casos de asfixia entre mulheres e crianças deslocadas que estavam abrigadas no hospital. Afirmou que a comunicação foi cortada, com pessoas presas dentro das unidades cirúrgicas e de emergência de um dos edifícios.

“Há vítimas, incluindo mortos e feridos, e é impossível resgatar alguém devido à intensidade do incêndio e ao alvo de quem se aproxima das janelas”, disse o ministério.

O Hamas disse em um comunicado que os militares israelenses cometeram um novo crime ao atacar diretamente os edifícios hospitalares, sem se preocupar com os pacientes, a equipe médica ou as pessoas deslocadas.

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências.Apoie e compartilhe