Médico alerta sobre o risco do fungo Candida auris chegar ao Brasil

Médico alerta sobre o risco do fungo Candida auris chegar ao Brasil

O fungo Candida auris, que ataca pessoas internadas em hospitais e com sistema imunológico enfraquecido, vem se espalhando silenciosamente pelo mundo e pode chegar ao Brasil. O alerta é dado por Arnaldo Lopes Colombo, médico, professor de infectologia e diretor técnico do Laboratório Especial de Micologia da Escola Paulista de Medicina da UNIFESPO.  “Existe risco de chegar ao Brasil, e não acho que seja pequeno”, afirmou Arnaldo Colombo.

“O Brasil não dispõe de um sistema ativo de vigilância de fungos capaz de identificar precocemente a Candida auris, que ataca pessoas com o sistema imunológico enfraquecido e está se espalhando rapidamente pelo mundo.O maior risco é que o fungo entre no país a partir da Venezuela, primeiro país das Américas a registrar surtos de Candida auris entre 2012 e 2013”, afirmou.

“A gente se preocupa muito com bactérias, há sistemas de vigilância para elas mas não para fungos. Muitos hospitais não identificam a Candida. Quando há pacientes infectados por bactérias, mais de 90% deles dão nome e sobrenome para elas. Mas, quando se trata de Candida, menos da metade consegue dar o sobrenome dela.”Colombo lembra que, desde a detecção do surto na Venezuela, a situação de saúde pública só se deteriorou naquele país. “Com o fluxo migratório, existe a possibilidade de a Candida entrar no Brasil e ela não ser reconhecida. Muitos hospitais públicos e privados não estão preparados para essa identificação.”

Colombo foi um dos técnicos que participou da elaboração da nota técnica da Anvisa alertando para a possibilidade de chegada do fungo ao Brasil, ou até de seu desenvolvimento evolutivo dentro dos hospitais brasileiros. Desde 2017,  que foi  emitido um “Comunicado de Risco Nº 01/2017”, que alertava especificamente sobre relatos de surtos de Candida auris em serviços de saúde da América Latina. ( Fonte: Gazetaonline)

Leia mais sobre o fungo aqui

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *