Covid-19: Segundo especialista Nova York, Israel e Califórnia podem ter alcançado imunidade de rebanho

Covid-19: Segundo especialista Nova York, Israel e Califórnia podem ter alcançado imunidade de rebanho
De acordo com  Mark Last, professor da Ben-Gurion University of the Negev (BGU), em Israel, que já estuda dados da área de saúde há 20 anos, é possível que os estados de Nova York e da Califórnia, nos Estados Unidos, podem ter alcançado a imunidade de rebanho do novo coronavírus.Mark desenvolveu um algoritmo capaz de medir a que nível estava a imunidade dos estados americanos.A suposta descoberta foi baseada no modelo SIR (S “suscetível”, o I  “infeccioso” e,  o R  “recuperados) das dinâmicas infecciosas, usada para determinar cenários da covid-19. Para o modelo, o estado de Nova York estava próximo de alcançar a imunidade de rebanho, considerando que o número de mortalidade começou a cair no local e o número de reprodução do vírus sob o distanciamento social era de 1,14.

Para Last, o mesmo vale para a Califórnia e para Israel. “Na Califórnia parece que a imunidade de rebanho foi alcançada em 15 de julho com mais de 10% da população infectada. Isso significa que o número básico de reprodução, o R0, é apenas de 1,1”, explicou ele no estudo.

A teoria da imunidade de rebanho consiste no efeito de proteção que surge nas pessoas quando grande parte se vacinou contra uma doença assim, mesmo quem não tomou a vacina fica protegido. Muitos acreditam que o indivíduo, ao contrair a SARS-CoV-2, se torna imune a ela.

O que diz a OMS

No mês de agosto, quando o número de mortos atingiu mais de 777 mil, a Organização Mundial da Saúde, disse que, em média 90% da população do planeta continua suscetível ao vírus. Para Mike Ryan, diretor de operações da OMS, não pode apostar na criação de uma imunidade de rebanho para barrar a proliferação da covid-19.Nesse sentido, estudos em mais de 50 países indicaram que menos 10% da população apresenta algum tipo de evidência da presença de anticorpos. Apesar disso, mesmo entre os profissionais de saúde e pessoas mais exposta ao vírus, a taxa não passa de 20% ou 25%. “Isso significa que a maioria da população mundial continua suscetível à infecção e que o vírus tem a oportunidade de circular.

#Campanha Vidas Importam

Veja também: Cientistas da UFRJ descobrem paciente infectada com o coronavírus por 5 meses

Pandemia: Fome ameaça matar mais do que vírus em 2020

Anvisa deixa de exigir retenção de receita para venda de ivermectina e nitazoxanida em farmácias

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *