Covid-19: Brasil tem 162 mil mortes e 5,67 milhões de casos acumulados

Covid-19: Brasil tem 162 mil mortes e 5,67 milhões de casos acumulados

EUA; país com maior número de casos registrados passou dos 10 milhões de infectados com mais de 130mil casos em 24 horas.

De acordo com o Ministério da Saúde; as mortes causadas pela pandemia do novo coronavírus chegaram a 162.628 no Brasil. Nas últimas 24 horas, houve registro de 231 mortes. Ontem, o sistema de dados sobre a pandemia marcava 162.397 óbitos. Ainda há 2.295 falecimentos em investigação, informação referente ao dia 4 de novembro.

O número de pessoas infectadas com o novo coronavírus desde o início da pandemia atingiu 5.675.766. De acordo com o balanço  5.064.344 já foram recuperadas da doença.

Dados globais

De acordo com a OMS; entre os 5 países com maior incidência da doença; os Estados Unidos está em primeiro lugar com mais de 10 mil casos registrados. Contudo; o Brasil é o terceiro país com maior número de casos e o segundo em número de óbitos.

  1. Estados Unidos – 10.191.261
  2. Índia – 8.591.730
  3. Brasil – 5.675.766
  4. Rússia – 1.817.109
  5. França – 1.807.479

Estados Brasileiros

De acordo com o consorcio de imprensa entre os estados Brasileiros São Paulo registra o maior número de casos de covid-19. Dessa forma, o estado passou de 1milhão de registros.

  1. São Paulo – 1.117.147
  2. Minas Gerais – 359.991
  3. Bahia – 354.043
  4. Rio de Janeiro – 311.014
  5. Ceará – 274.341

Calamidade Pública

Além disso, o governo federal reconheceu o estado de calamidade pública no Rio Grande do Norte em razão da pandemia da covid-19. Portaria da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil foi publicada hoje (10) no Diário Oficial da União.

O reconhecimento de situação de emergência ou estado de calamidade pública pelo governo federal reduz a burocracia e facilita, a estados e municípios, o acesso aos recursos da União para ações de socorro. No fim do mês passado, o governo também reconheceu calamidade pública na Bahia e no Ceará.

Veja também: Fiocruz arcará com possíveis danos da vacina de Oxford a pedido de laboratório

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *