Tanzânia na contra mão das evidências

Tanzânia na contra mão das evidências

De acordo com dados divulgados pelo governo da Tanzânia, o país registra apenas 509 casos com 21 óbitos. Contudo, na realidade o país não publica dados referente a pandemia há meses; segundo o governo, o local está “livre da covid-19”.

Reportagem especial da BBC Brasil, traçou a como a Tanzânia tem se comportando diante da pandemia. Segundo reportagem, existem poucos testes e nenhum plano para um programa de vacinação no país da África Oriental. Dessa forma, é quase impossível avaliar a verdadeira extensão do vírus e apenas um pequeno número de pessoas tem permissão oficial para falar sobre o assunto.

Por conta das incertezas sobre a covid-19 que cercam o país; o Reino Unido proibiu a entrada de passageiros que chegariam da Tanzânia, e os EUA alertaram contra a ida ao país em decorrência da doença.

Vacina

 

Em junho de 2020, o presidente John Magufuli declarou o país “livre da covid-19”; além disso, juntamente com outros altos funcionários do governo, zombou da eficácia das máscaras, duvidou que os testes funcionassem e zombou dos países vizinhos que impuseram medidas para controlar a disseminação do vírus.

Mesmo sem evidências, Magufuli disse, que as vacinas contra a covid-19 podem ser prejudiciais e, em vez disso, tem instado os tanzanianos a usar inalação de vapor e medicamentos fitoterápicos. Contudo, nenhum deles recebeu a aprovação da Organização Mundial da Saúde (OMS) como tratamento.

Por outro lado, a OMS discorda. “As vacinas funcionam e encorajo o governo [da Tanzânia] a se preparar para uma campanha de vacinação da covid”, disse Matshidiso Moeti, diretor da OMS para a África, acrescentando que a organização está pronta para apoiar o país.

Decreto publicado em Maio, proíbe uso de mascaras no país

De acordo com decisão, apenas o presidente e três outros altos funcionários podem dar informações sobre covid-19 no país. Contudo, lideres da Igreja Católica no país quebraram o silêncio e alertaram a população para seguir medidas de saúde para conter a propagação do vírus.

“A covid não acabou, a covid ainda está aqui. Não vamos ser imprudentes, precisamos nos proteger, lavar as mãos com água e sabão. Também temos que voltar a usar máscaras”, disse o bispo de Dar es Salaam, Yuda Thadei Ruwaichi.

Uso de Mascaras

Ainda assim, houve momentos em que o governo não estava em total negação, sobre a existência do vírus no país.

Em janeiro, dias depois que a Dinamarca informou que dois de seus cidadãos que visitaram a Tanzânia tinham testado positivo para a variante sul-africana mais transmissível do vírus, Magufuli culpou os tanzanianos que viajam para o exterior por “importar uma nova estranha corona”.

Contudo, mesmo após visitar dois hospitais, o professor Mabula Mchembe, secretário permanente do Ministério da Saúde, disse que os pacientes com problemas respiratórios sofriam de hipertensão, insuficiência renal ou asma, em vez de coronavírus.

 

 

Campanha Vidas Importam 

Veja também: Senado proíbe fechamento de hospitais de campanha

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *