Sindimed-BA se solidariza com os usuários do Planserv

Sindimed-BA se solidariza com os usuários do Planserv

Sindimed

O Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia se solidariza com a toda a população que precisa e está impedida de ter acesso à atendimento, por conta da crescente redução no orçamento para a saúde, em especial pelas crescentes limitações impostas aos prestadores na oferta de atendimento aos usuários do Planserv. Repudia também o posicionamento equivocado ao tentar desviar para os médicos a responsabilidade pela imposição financeira que reduz o número de consultas, sem oferecer uma resposta efetiva ou crível para a Sociedade Baiana.

O Plano de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos da Bahia (Planserv) possui o maior número de vidas (beneficiários) no estado. “O governador não explica sobre o foco principal dos transtornos aos usuários do Plansev, que são os cortes na oferta do serviço aos beneficiários, por conta da limitação orçamentária que eles criaram”, afirma a presidente do Sindimed-BA, Dra. Ana Rita de Luna. Acrescenta que “Os pacientes estão tendo dificuldade no acesso a consultas e exames e o governador tira o foco, não responde a essas demandas da população no campo da saúde e tenta colocar o manto de desconfiança em toda a classe médica. Os médicos não vão concordar com isso.”


Ela detalha que todos que trabalham com o Planserv, gerido pela Secretaria da Administração (Saeb) do governo da Bahia, estão limitados, visto que há um decréscimo no volume de consultas, pela determinação de cotas. Ou seja, que há uma diminuição no número mensal de consultas e de procedimentos que o governo autoriza para atendimento. “Cada vez mais, eles reduzem o acesso dos pacientes que necessitam de tratamento. Inclusive, em muitos casos, são aposentados, que têm várias doenças”.
Dra. Ana Rita relata que “as limitações impostas através do Planserv têm dificultado, em muito, o adequado atendimento, muitas vezes deixando essa população de usuários em situação dramática”. Ela assevera que o Sindimed-BA repudia práticas ilegais e acredita que, se existem suspeitas de fraudes em algum lugar, precisam ser averiguadas e medidas adequadas tomadas pelas autoridades. Todos os prestadores fazem autorização prévia aos procedimentos e após a realização são auditados, há tempos, o que contraria a fala do gestor governamental.
“Mas não vamos aceitar a suspeição generalizada dos profissionais da Medicina. Repudiamos o fato do governador, além de manter a população em situação difícil, reduzindo paulatinamente o acesso do usuário aos serviços de Saúde por meio do Planserv, ainda tente empurrar  as responsabilidades para os médicos”, declara. Dra. Ana Rita diz ainda que com os problemas do Planserv “Os médicos padecem junto à população, sendo imperioso que ela esteja consciente sobre as reais fontes das dificuldades do seu acesso aos serviços de saúde”. Os médicos querem atender seus pacientes!

Redação Saúde no Ar

Fonte/foto:Sindimed-Ba

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *