Reprodução humana assistida:embriões criopreservados cresce 17%

 Reprodução humana assistida:embriões criopreservados cresce 17%

reprodução assistida

O número de embriões criopreservados cresce 17% no país. As informações constam no  11º Relatório do Sistema Nacional de Produção de Embriões, mostra o crescimento no número de embriões fertilizados in vitro em 2017 em relação ao ano anterior.

De acordo com o relatório, a Região Sudeste é a responsável por 65% dos 78.216 embriões congelados. A Região Sul tem 13%, a Nordeste, 12%,12%), a Centro-Oeste, 8% e a Norte, 2% finalizam a lista da distribuição, em porcentagem, de embriões criopreservados no ano de 2017.

Reprodução assistida no Brasil:

O que é Reprodução Assistida? É o nome dado a tratamentos que podem ajudar você a engravidar sem ter relações sexuais. O Brasil tem 166 serviços de reprodução assistida cadastrados na Anvisa que fazem o trabalho de coleta de óvulos, inseminação do espermatozoide no óvulo e transferência do embrião para o útero. O atual relatório traz os dados atualizados de 146 serviços, os outros 20 não enviaram os dados até o prazo final e já foram notificados a se adequar.

Doação de embriões:

Outro ponto de destaque do Relatório é que o total de embriões doados para pesquisa com células-tronco embrionárias no Brasil no período de 2008 a 2017 é de 1.363 embriões. Somente em 2017, o número registrado no Brasil foi de 122 embriões doados, que vieram de três estados: Rio Grande do Sul, com a doação de 95, Paraná, com a doação de 24 e São Paulo, com a doação de 3 embriões.

Esse tipo de doação está prevista na Lei 11.105/2005 que autorizou a utilização de células-tronco embrionárias produzidas por fertilização in vitro que não foram utilizadas pela família. Segundo a lei, a doação para pesquisa é autorizada somente dos embriões considerados inviáveis ou aqueles congelados até março de 2005 e com mais de três anos de congelamento. Em qualquer um dos casos, é necessário o consentimento dos genitores.

A quantidade de serviços se refere ao número de Bancos de Células e Tecidos Germinativos- BCTGs que enviaram seus dados de produção ao SisEmbrio.

Relatório SisEmbrio:

O relatório produzido pela Anvisa traz números que servem de referência tanto para o trabalho de fiscalização das vigilâncias sanitárias como para as pessoas que desejam ter filhos e precisam desse tipo de serviço.

A Anvisa, em conjunto com as vigilâncias sanitárias locais, tem como perspectiva para este ano a realização de ações de fiscalização sanitária, de forma a reduzir os riscos à saúde e a promover a melhoria da qualidade do serviço ofertado à população.

Redação Saúde no Ar

Fonte: Anvisa

Foto:Internet

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *