OMS publica Relatório de Progresso de Energia

OMS publica Relatório de Progresso de Energia

De acordo com o novo Relatório de Progresso de Energia, cerca de 3 bilhões de pessoas não têm acesso a soluções de cozinha limpa; principalmente na Ásia e na África Subsaariana. Sem atenção urgente a esta questão, apenas 72% da população global terá acesso a combustíveis e tecnologias limpas para cozinhar até 2030.

Além disso, o estudo avalia o progresso feito por cada país; bem como fornece um instantâneodo alçance das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para 2030. 

Dessa forma, segundo o relatório, progresso significativo foi feito desde 2010 em vários aspectos da Meta de Desenvolvimento Sustentável (ODS); contudo, o progresso tem sido desigual entre as regiões. 

Globalmente, o número de pessoas sem acesso à eletricidade diminuiu de 1,2 bilhão em 2010 para 759 milhões em 2019. Por outro lado, o número de pessoas conectadas as redes mais que dobrou entre 2010 e 2019, passando de 5 para 11 milhões de pessoas.

 

Principais destaques nas metas ODS7

Acesso à eletricidade

Desde 2010, mais de um bilhão de pessoas obtiveram acesso à eletricidade. Como resultado, 90% da população do planeta estava conectada em 2019. Ainda assim, 759 milhões de pessoas ainda vivem sem eletricidade, com cerca de metade delas vivendo em ambientes frágeis e afetados por conflitos. 

 

Cozinhando limpa

A parcela da população global sem acesso a combustíveis e tecnologias limpas para cozinhar foi de 66% em 2019, deixando quase três bilhões de pessoas ou um terço da população global sem acesso. Desde 2010, a taxa global de acesso a soluções de cozinha limpa cresceu anualmente em 1 por cento, com ganhos atribuídos principalmente ao progresso nas regiões da Ásia Central e Meridional e Leste e Sudeste Asiático.  

Renováveis

A crise do COVID-19 resultou em uma expansão anual estimada de 7% da geração de eletricidade renovável, apoiada por contratos de longo prazo, baixos custos marginais, acesso prioritário às redes e instalação de nova capacidade renovável. Em contraste, a parcela de energia renovável para transporte e aquecimento diminuiu em 2020.

 

Fluxos Financeiros Internacionais

Os fluxos financeiros públicos internacionais para os países em desenvolvimento em apoio à energia limpa totalizaram US $ 14 bilhões em 2018, uma redução de 35% em relação ao recorde histórico de US $ 21,9 bilhões no ano anterior. No entanto, a tendência geral dos fluxos financeiros públicos foi positiva na última década, triplicando durante o período de 2010-2018, quando considerada como uma média móvel de cinco anos. 

Acompanhe relatório completo http://trackingSDG7.esmap.org/ . 

 

 

 

Campanha Vidas Importam 

Veja também:  EUA: FDA aprova medicamento para diabetes que pode ajudar na perda de peso

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *