Martagão Gesteira inicia conversa com Ministério da Saúde

Martagão Gesteira inicia conversa com Ministério da Saúde

martagao_gesteiraA equipe gestora do Hospital Martagão Gesteira foi recebida nesta terça-feira (19) pelo ministro da saúde, Ricardo Barros. O encontro foi intermediado pelo ministro Gedel Vieira Lima e deputado Lucio Vieira Lima e teve como objetivo explanar a situação econômico-financeira da instituição, com foco no reequilíbrio dos contratos. Na última semana, o Martagão anunciou a possível suspensão de serviços essenciais, a exemplo da neurocirurgia, oncologia, cirurgia cardíaca e tratamento de crianças com fenda palatina.

Durante a reunião, o superintendente da Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, mantenedora do Martagão Gesteira, Antonio Santos Novaes Junior, explicou que os contratos e o plano operativo do hospital encontram-se desatualizados, sem reajustes há mais de 5 anos, o que tem gerado mensalmente um déficit de R$ 500 mil. O ministro Ricardo Barros encaminhou o pleito para a equipe técnica do Ministério da Saúde, que nesse momento estuda uma possível solução. O pedido do Martagão foi endossado pelas Secretarias Municipal e Estadual de Saúde, que emitiram uma carta de referência, corroborando a importância da instituição e o cumprimento de todas as metas qualitativas e quantitativas.

Notícias relacionadas:

Martagão Gesteira anuncia suspensão de serviços

Filantrópicas lançam campanha em protesto contra a crise

No âmbito estadual, a conversa foi iniciada na última sexta-feira (15). O secretário de saúde do estado da Bahia, Fabio Vilas-Boas, contatou a equipe gestora do Martagão Gesteira, solicitando que fossem apresentados os pleitos de reequilíbrio dos contratos estaduais. A equipe do Martagão se reuniu nesta manhã com a equipe técnica da SESAB para elaborar a proposta, que deve ser avaliada pelo secretário Vilas-Boas.

O Martagão, que tem 40% do seu custeio vinculado a contratos com o Governo do Estado da Bahia e 60% vinculados ao Ministério da Saúde e Secretaria Municipal da Saúde, pretende que as distorções econômico-financeiras, que ameaçam a sua sustentabilidade, sejam corrigidas. “O que temos agora é uma luz no fim do túnel. Estamos empenhados e confiantes, mas ainda há muito trabalho a ser feito”, disse o Superintendente Antonio Santos Novaes Junior.

Entenda o cenário do Martagão Gesteira

Para realizar 22 mil atendimentos especializados por mês, o Martagão Gesteira gasta R$ 4,2 milhões. Os contratos estaduais remuneram com R$ 1,6 milhão. O contrato municipal, juntamente com o Ministério da Saúde, remunera com R$ 2 milhões. As doações mensais ao Martagão, que podem ajudar no custeio mensal, são de cerca de R$ 100 mil. Todo o valor arrecadado pela instituição totaliza, mensalmente, R$ 3,7 milhões, o que gera um déficit de R$ 500 mil mensal.

Para cobrir o déficit sem reduzir os atendimentos, o Martagão Gesteira vem recorrendo todos os anos a empréstimos bancários. Hoje, a dívida total da instituição já soma R$ 25 milhões. “Os hospitais filantrópicos não recebem nenhuma facilidade dos bancos, que cobram juros elevados e fazem a dívida crescer de forma descontrolada”, explica Novaes Junior.

Formas de apoio ao Martagão:

– Para doações através de boleto bancário ou cartão de crédito, é possível acessar o site www.martagaogesteira.org.br

– As doações também podem ser feitas através de carnês de contribuição, espalhados em lojas e estabelecimentos, além do próprio hospital.

– Para mais informações: 71 3032-3770/3773

Redação Saúde no Ar*

João Neto

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *