Estudo: sono ruim pode causar ansiedade e até infelicidade

Estudo: sono ruim pode causar ansiedade e até infelicidade

Estudo que analisou 50 anos de pesquisa, mostra que não dormir o suficiente ou dormir mal pode afetar muito o humor e a saúde mental das pessoas.

“Descobrimos que todas as formas de perda de sono – privação total de sono, perda parcial de sono e fragmentação do sono – resultaram em mudanças emocionais. O efeito mais forte e consistente foi que a perda de sono reduziu o humor positivo”, disse a co-autora Cara Palmer, professora assistente e diretora do Laboratório de Sono e Desenvolvimento da Universidade Estadual de Montana, em Bozeman.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, adultos com mais de 18 anos precisam de pelo menos sete horas de sono sólido à noite para serem saudáveis. Contudo, quando dormem menos, o preço pode ser alto: estudos associam o sono insatisfatório a um risco aumentado de obesidade, doenças cardíacas e demência, bem como distúrbios de humor.

Ainda assim, mais de 30% dos adultos têm um débito diário de sono – quando você dorme menos do que o seu corpo necessita – de mais de uma hora, enquanto quase 1 em cada 10 adultos perde duas ou mais horas de sono todas as noites, aponta um estudo de 2022.

A pesquisa publicada no jornal Psychological Bulletin da Associação Americana de Psicologia, analisou dados de 154 estudos sobre mais de 5.000 pessoas ao longo de cinco décadas.

Nesses estudos, os investigadores perturbaram o sono dos participantes durante uma ou mais noites, quer mantendo-os acordados (privação de sono), acordando-os periodicamente (fragmentação do sono) ou fazendo-os acordar mais cedo do que o habitual (perda parcial de sono). Posteriormente, os participantes foram testados quanto à ansiedade, depressão, humor e sua resposta a gatilhos emocionais.

A metanálise “ampla e abrangente” enfatiza as fortes conexões entre saúde mental e sono, disse o especialista em sono e pneumologista Dr. Raj Dasgupta, professor associado de medicina clínica na Escola de Medicina Keck da Universidade do Sul da Califórnia.

“Os estudos incluídos na meta-análise descobriram que os indivíduos que tinham sono de má qualidade e quantidade relataram sentir-se mais estressados, irritados, tristes e mentalmente exaustos. Quando os sujeitos retomaram o sono normal, relataram uma melhora dramática no humor.”

Além disso, a perda de sono também piorou os sintomas de ansiedade e depressão. “Períodos mais longos de vigília resultaram em sintomas depressivos ou de ansiedade mais extremos”.

Ainda assim, mais pesquisas são necessárias para determinar o impacto da falta de sono em pessoas com transtornos mentais existentes, adolescentes e crianças, mas cada pessoa deve ter o cuidado de priorizar o sono em suas vidas.

 

 

Foto: Pixabay

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências. Apoie e compartilhe