Estética íntima: Saúde e autoestima

Estética íntima: Saúde e autoestima

mulherVocê já ouviu falar em cosmetoginecologia? Saiba que o procedimento vem ganhando força no Brasil, segundo o  Relatório Anual da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos. Também conhecido como, cirurgia plástica nas partes íntimas,  o procedimento pode ser realizado tanto por cirurgiões plásticos quanto por ginecologistas especializados na área. Existem diversas denominações para este tipo de cirurgia: labioplastia, estética íntima, plástica genital, mas internacionalmente é conhecida pela Sociedade Americana e Europeia como Cosmetoginecologia e consiste na modificação da parte externa dos órgãos íntimos femininos, mas precisamente os pequenos lábios. De acordo com as Ginecologistas Tina Batalha e  Cristina Sá especializadas neste procedimento, aqui na Bahia, o Brasil é considerado um dos países mais avançados no mundo em Estética Íntima e citado como referência em diversos congressos mundiais.

Essa cirurgia já existe há algum tempo, mas sua função é a correção dos pequenos lábios conforme o tamanho exagerado, simetria, coloração que pode incomodar, gerando até constrangimento na mulher. “Para uma mulher chegar a procurar atendimento especializado é porque passou um longo período de conflitos. A aceitação do envelhecimento do corpo não é fácil, principalmente para as mulheres mais ativas como vemos nos dias atuais”, revelou a cirurgiã e ginecologista Tina Batalha.  De acordo com a médica a região genital envelhece como qualquer parte do corpo.  “Assim como se cuida da pele do rosto, do cabelo e do corpo, deve-se cuidar, também, da região íntima para elevação da auto estima e a realização por inteiro”, esclareceu a ginecologista.

De acordo com os ginecologistas especializados em estética a labioplastia é um recurso para melhorar anomalias, algo fora do normal, não para buscar novas formas em uma região perfeitamente saudável ou em desenvolvimento como no caso das meninas com menos de 18 anos. Os médicos não recomendam que esse procedimento seja feito em jovens por questões ligadas ao desenvolvimento.

O procedimento é simples, a mulher é sedada e recebe anestesia local, tanto pode ser feita a redução dos lábios com corte e costura ou com laser. “Por meio de laser o conforto é maior para a recuperação, que é mais rápida. A mulher tem alta poucas horas após o procedimento e deve ficar pelo menos 30 dias sem relações sexuais”, esclareceu a especialista no assunto e ginecologista Tina Batalha. Quando feita de forma consciente e correta por profissionais experientes é uma cirurgia com grandes possibilidades de ser bem sucedida e gerar bem estar a paciente.

O assunto foi tema do Programa Saúde no ar desta quinta-feira (05.10). Ouça entrevista na íntegra.

Fonte: Cristina Sá Oliveira (ginecologista e especialista em terapia sexual) e Ana Cristina Batalha (especialista em medicina estética)

Foto: Google

Redação Saúde no Ar

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *