Ansiedade excessiva pode ser doença

Ansiedade excessiva pode ser doença

 

20140408093835365548u

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que o Brasil tem a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade do mundo. No total, 186 milhões de brasileiros viviam com algum transtorno de ansiedade em 2015 e 11,5 milhões de pessoas, com depressão no País. 322 milhões de pessoas pelo mundo sofrem de depressão, 18% a mais que há dez anos. O número representa 4,4% da população do planeta.“A ansiedade é uma emoção normal do ser humano, inerente a espécie humana que, em medidas normais, é absolutamente necessária para viver. ”, afirma o psiquiátra Lucas Alves Pereira em entrevista ao programa Saúde no Ar. No entanto, a ansiedade excessiva pode se tornar uma doença, ou melhor, um distúrbio de ansiedade. Essa emoção natural se manifesta como sintoma, indicando uma patologia, quando traz prejuízos importantes para o indivíduo, ou seja, quando sua rotina é alterada, quando ele deseja fazer certas coisas e não consegue.

Para um ansioso, o mundo pode parecer não acompanhar seu ritmo. Na vida social, pode parecer que todos estão olhando e julgando, mas conversar sobre o problema pode ser extremamente difícil. Dessa forma, as pessoas mais próximas são as mais indicadas para ajudá-lo a procurar auxílio de um psicólogo ou psiquiatra, a depender do caso.

Os problemas podem parecer pequenos para outras pessoas, mas não para quem sofre do transtorno. O distúrbio, por impactar a esfera emocional, pode ser muito difícil de ser controlado sem ajuda de um profissional. Pessoas que sofrem de ansiedade costumam se sentir nervosas, tensas e preocupadas com coisas que, antes, não pareciam tão graves ou com motivos considerados banais pelas outras. A pessoa pode ter eventuais ataques de pânico e estar sempre à espera de acontecimentos ruins, sem razão óbvia, ou considerar apenas os aspectos negativos de cada circunstância.

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade no qual ocorrem crises inesperadas de desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivo algum para isso ou sinais de perigo iminente."No momento do pânico as pessoas experimentam um pico de ansiedade que as levam a achar que estão sofrendo um enfarte ou AVC. Neste estado elas procuram uma emergência, pelo medo de morrer. ”, afirma. O psiquiatra acredita, que é nesse momento que o médico tem a oportunidade de orientar o paciente a procurar um psiquiatra.

De acordo com o médico, são muitos os fatores que explicam a ansiedade patológica. Primeiramente, ele ressalta a genética, pois são as características genéticas herdadas dos pais que podem determinar a ansiedade. “Esses genes ou essas características, lá de dentro da nossa célula, é que vão ser moduladas pelas nossas vivências. Uma pessoa que sofreu abuso na infância, tem maior probabilidade de ter um transtorno de ansiedade do aquele que não passou por isso. ” Exemplifica.

A depender do nível de ansiedade, pode haver repercussões no sistema cardiovascular. “Uma ansiedade elevada, por muito tempo, pode aumentar a frequência cardíaca e a pressão arterial, e isso justifica o tratamento, que pode ser farmacológico, mas que também passa por mudanças comportamentais, como, por exemplo, incluir na rotina  exercícios físicos. ”, recomenda Lucas Pereira, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria.

O médico Lucas Alves conclui ao dizer que a ansiedade, principalmente a ansiedade generalizada, é uma doença grave, que se não tratada pode gerar depressão, uma outra enfermidade ainda mais grave e difícil tratamento.

ginastica

Sintomas frequentes da ansiedade:

Preocupação Excessiva- A marca do transtorno da ansiedade generalizada (TAG) – o tipo mais amplo da ansiedade – é se preocupar demais com as coisas do dia a dia, grandes ou pequenas. Mas o que significa “demais”? No caso do transtorno da ansiedade generalizada, significa ter pensamentos ansiosos persistentes em quase todos os dias da semana, por seis meses. 

Problemas de sono- Dificuldade em adormecer ou manter o sono está associado a uma ampla gama de condições de saúde, tanto físicos como psicológicos,se você encontrar-se frequentemente deitado e acordado, preocupado ou agitado com problemas específicos (como dinheiro), ou nada em particular – pode ser um sinal de transtorno da ansiedade. Segundo algumas estimativas, Metade de todas as pessoas com transtorno da ansiedade generalizada experimentam problemas com sono.

Medos Irracionais- Alguns casos de ansiedade não são generalizados, pelo contrário, está ligada à alguma situação ou coisa, como voar, animais ou multidões. Se o medo se torna opressivo, destrutivo e muito fora de proporção do real risco envolvido, então é um sinal de fobia. 

Tensão muscular- A tensão muscular quase constante, quer se trate de apertar sua mandíbula, tencionando os punhos, ou flexionando os músculos por todo o corpo, muitas vezes acompanha os transtornos de ansiedade. Este sintoma pode ser tão persistente e generalizado que as pessoas que viveram com isso por um longo tempo podem parar de perceber depois de um tempo. O exercício regular pode ajudar a manter a tensão muscular sob controle.

Indigestão crônica- A ansiedade pode começar na mente, mas muitas vezes se manifesta no corpo através de sintomas físicos, como problemas digestivos crônicos. Síndrome do intestino irritável (IBS), uma condição caracterizada por dores de estômago, cólicas, inchaço, gases, constipação e / ou diarreia.

Medo de falar em público- A maioria das pessoas sentem pelo menos um frio na barriga antes de abordar um grupo de pessoas ou estar no centro das atenções. Mas se o medo é tão forte que nenhuma quantidade de treinamento ou prática vai aliviá-lo, ou se você gasta muito tempo pensando e se preocupando com isso, você pode ter uma forma de transtorno de ansiedade social (também conhecido como fobia social). 

Pânico- Ataques de pânico podem ser assustadores. Imagine uma sensação repentina de medo extremo que pode durar vários minutos, acompanhados por sintomas físicos assustadores como aperto na garganta e peito, coração acelerado, mãos frias, tontura e fraqueza, dores no estômago e no peito. Nem todo mundo que tem um ataque de pânico tem um transtorno de ansiedade, mas as pessoas que os experimentam repetidamente podem ser diagnosticados com transtorno de pânico.

Perfeccionismo- A mentalidade obsessiva conhecida como perfeccionismo anda de mãos dadas com transtornos de ansiedade você está constantemente a julgar a si mesmo ou você tem um monte de ansiedade antecipatória de cometer erros ou aquém de suas normas, então você provavelmente tem um transtorno de ansiedade. 

c4fd6116-7579-49dd-b059-1174c89cec4c

Ouça a entrevista completa do psiquiatra Lucas Alves, no áudio abaixo:

 

 

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *