Água para Vida

Água para Vida

A semana entre os dias 21 e 27 de março de 2021 possui diversas datas que chamam à reflexão sobre o meio ambiente. No domingo, dia 21 de março foi comemorado o Dia Internacional das Florestas. Contudo, nesta segunda-feira (22) é comemorado o dia Mundial da Água.

De acordo com a  Organização das Nações Unidas, atualmente, cerca de 2.2 biliões de pessoas não têm acesso a água potável e 4.2 biliões vivem sem saneamento adequado. Dessa forma, espera-se que os efeitos das alterações climáticas aumentem estes números, se nada for feito. A estimativa é que até 2050, entre 3.5 e 4.4 biliões de pessoas terão acesso limitado à água, dos quais mais de mil milhões viverão em cidades.

Para celebrar a data, acontece solenidade no Palácio do Planalto; com a presença do Presidente da República; bem como do Ministro do Desenvolvimento Regional, Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ministro da Ciência e Tecnologia; além disso, estarão presentes o Ministro do Meio Ambiente, Ministro da Controladoria Geral da União, Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

De acordo com o anuncio do governo federal, durante evento acontecerá; a apresentação de vídeo institucional sobre o Programa Águas Brasileiras; Assinatura dos protocolos de intenção com as primeiras empresas patrocinadoras do Programa Águas Brasileiras, indicando seu compromisso no aporte de recursos nos projetos selecionados de revitalização de bacias. Bem como, outras atividades. Acompanhe a programação. 

Algumas Instituições da Sociedade Civil, vem difundindo informações importantes sobre a qualidade das águas, das nascentes, e os impactos ambientais sofridos pelo degradação das aguas ao longo do tempo, a exemplo da Osip Rio Limpo.

Dezenas de vídeos circulam nas redes sociais apresentando a degradação de nossas nascentes, afluentes, mares. A exemplo do vídeos das Mulheres do Cerrado que viraliza, mostrando os desfechos das intervenções do agronegócio sem  previsibilidade de sobrevivência do ecossistema. Uma reflexão para todos os dias.

Caminho das Águas

O Brasil ainda abriga o maior volume de água doce do planeta, mas as práticas desordenadas, além de piorar a qualidade dos mananciais brasileiros,  também causam escassez. A publicação Caminho das águas, explica detalhadamente como funciona as bacias hidrográficas da Bahia.

Estudo brasileiro, apoiado pela FAPESP, que reuniu especialistas da Universidade de São Paulo (USP); bem como da Universidade Federal do ABC (UFABC), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e das estadunidenses Universidade de Massachusetts e Universidade Estadual do Oregon. Revela que o  uso desordenado do solo no Brasil vem causando impactos significativos na qualidade das águas e pode gerar graves consequências já nos próximos anos. Os principais vilões são a urbanização, o agronegócio e a mineração.

De acordo com os pesquisadores, para reverter o cenário, é necessário planejamento e cumprimentos das normas e leis que já existem no país. O cenário atual, com aumento de consumo e tratamento inadequado, já traz consequências e pode causar impactos por décadas.

 

Campanha Vidas Importam 

Veja também:  Covid-19: O risco aumenta com a idade

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *