Trabalhador e/ou Empreendedor?

Trabalhador e/ou Empreendedor?
Ezequiel Oliveira
Em tempos de muitos desempregados, crise financeira, revolução digital, tensões veladas interna e externa no universo globalizado, com a comunicação expondo os fatos verídicos e fakes news construídos, o desenvolvimento humano vive o apogeu de sua transição em  rumo à nova terra.
Na primeira revolução industrial com a chegada da máquina a vapor e a ciência newtoniana, a tensão foi local e proximal, a relação de trabalho foi significada e construída com gritos que ecoaram além das fábricas e lugarejos.
Essa realidade foi desenhando um desenvolvimento desigual, egocêntrico  piramidal. As sequelas desses modelos de desenvolvimento ficaram expostas e reverberaram em cada esquina no campo e nas cidades do mundo inteiro. Não precisa ser historiador para compreender em que mãos estão o poder, e as corporações que ditam as regras do jogo.
A quarta revolução industrial, chamada também da primeira revolução digital, a qual estamos vivendo, chegou sem pedir licença, quebrando paradigmas de negócios, das relações sociais e inclusive do trabalho.
O primeiro setor a ser atingido foi o das comunicações. Tínhamos em menos de dez anos poucas emissoras comunicando para milhares de telespectadores, no formato de balde vazio. Entregando conteúdos e publicidades dos seus interesses, com suas verdades e com o preço e interesses do pagador. Atualmente temos milhões de emissores e telespectadores interagindo freneticamente, referendando  os seus interesses e suas verdades.
 O cenário não é tão cor de rosa,  quanto parece. O IDH, PIB, PISA, IBGE, entre outros  indicadores revelam os bueiros e suas profundezas.
As sequelas sociais vão além dos dados apresentados, têm origem, causa e efeito. A engenharia social associada a AI-Inteligência Artificial otimizará o fosso social?
O segundo setor a ser atingido é a educação. Infelizmente os dados não são animadores.  Imaginar que a educação deveria ser o centro de todo desenvolvimento, quando olhamos para os últimos 130 anos, percebemos o centro da discórdia e da concentração dos interesses.
A educação básica que deveria ser um centro de excelência para todos, onde os valores mais nobres da civilidade seriam contemplados, reverenciados e compartilhados, foram sendo deteriorados pouco a pouco, como estratégia de dominação e efeito dominó.
 É só observar os dados ao longo dos anos. A sedução do poder financeiro e ideológico foram as sombras para deixar de joelhos uma nação inteira. E agora GENI?
Calma, não sou pessimista, sou otimista, contudo precisamos avaliar as interações dos dados como processador quântico, causa/efeito. Uma nação que escolheu a colonização, em primeiro ato, deixou infiltrar a corrupção sistêmica nos poderes e relegou a educação básica, a educação de alto padrão para todos. Não aproximou o meio produtivo e acadêmico sistematicamente. O  que esperar?
 A conta chegou! Não há apenas um culpado. Escolhe-se um culpado para representar o fracasso do modelo fracassado.
O terceiro, quarto, quinto… e todos os setores estão vindo, são eles: sistema financeiro, sistema imobiliário, consumo consciente, indústria farmacêutica, petróleo e sistema bélico. Calma, não sou o apocalíptico João, e nem tenho um sistema de simulação de Monte Carlos para eventos probabilísticos. São os fatos, os anseios, os conhecimentos sendo disponibilizados e compartilhados que nos trazem reflexões sobre esses emaranhados que vivemos.
A revolução digital que já estamos inseridos, é realidade! Não reconhecer esse fato é ter permanecido em um estado estacionário de consciência, o nosso passado temporal. As relações de trabalho e meios de produção já estão sendo alienados para um “mindset” de desenvolvimento do mundo novo.
As informações, as possibilidades, estão disponíveis nas redes. Compreender esse momento faz-nos construir redes de ecossistemas sustentáveis com os pilares da verdade, necessidade, bondade, consumo consciente e responsabilidade social.
Afinal estamos conectados quanticamente, sobre uma mesma energia de ligação. Encontrar os mecanismos que libertem das sombras que aprisionam o nosso corpo e nossa mente, levará a uma sociedade saudável e próspera.
Paz e Luz!
Ezequiel Oliveira
ezequiel.fisico@gmail.com
WhatsApp 55 71 987596650

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *