Operação desarticula grupo criminoso que desviou R$ 70 milhões de plano de saúde

Operação desarticula grupo criminoso que desviou R$ 70 milhões de plano de saúde
Megaoperação montada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), com o objetivo de desarticular uma organização criminosa acusada de desviar cerca de R$ 70 milhões de uma empresa de plano de saúde. De acordo com a PCDF, a maioria dos investigados são gestores e funcionários da companhia.

Chamada de “Operação Loki”, ou “Pai da Mentira”, a ação acontece juntamente no Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Rondônia. Além disso, segundo os responsáveis pela operação houve expedição de 15 mandados de busca e apreensão em endereços ligados aos investigados.

De acordo com informações os Policiais da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf) analisaram 380 mil movimentações bancárias e fiscais registradas entre 2013 e 2018.  Além disso, a PCFD diz que os diretores, contadores e alguns funcionários do plano de saúde desviaram ilegalmente valores milionários para microempresas vinculadas a amigos e familiares dos próprios dirigentes.

Descoberta dos desvios

Ainda assim, uma microempresa especializada em serviços de chaveiro recebeu, de forma fraudulenta, pelo menos R$ 3 milhões do plano de saúde. Da mesma forma, outra fraude acabou descoberta em transações repassadas a uma empresa que trabalha com produção e venda de cana-de-açúcar e produtos agropecuários.

Dessa forma, a operação teve apoio de policiais dos estados e também o auxílio da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), responsável pela fiscalização dos planos de saúde. Contudo, foi a ANS quem identificou as primeiras operações fraudulentas no plano que atua na região Centro-Oeste e o estado de Tocantins; ao todo são 55 mil associados.

Por outro lado, o nome da operadora não pode ser divulgado pelo caso estar em apuração. Entre os crimes investigados estão:  falsidade ideológica, falsificação de documentos; bem como apropriação indébita, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

 

 

 

Campanha Vidas Importam 

Veja também: Covid-19: Vacina da Pfizer conseguiu neutralizar mutação em laboratório

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *