Nestle terá que reduzir o glifosato usado nas plantações de café para poder exportar

Nestle terá que reduzir o glifosato usado nas plantações de café para poder exportar

A maior torrefadora de café do mundo, Bloomberg , informou os fornecedores da Indonésia e do Brasil sobre novos procedimentos, que entram em vigor a partir de 1º de outubro, de acordo com memorandos vistos pela Bloomberg.

A Nestlé  diz que as novas medidas “devem ser temporárias” até os países produtores corrigirem o uso do glifosato em seus plantios.

Segundo a Bloomberg, a Nestlé disse que monitora ativamente a presença de resíduos de agrotóxicos no café verde que compra”. A Nestlé teria informado que “esse programa de monitoramento mostrou que em alguns lotes de café verde os níveis de resíduos químicos estão próximos dos limites definidos pelas regulamentações. Estamos reforçando nossos controles, trabalhando com fornecedores para garantir que nosso café verde continue atendendo às regulamentações em todo o mundo. ”

A Nestlé disse ainda que está trabalhando com produtores para reduzir a necessidade de glifosato, e que está tentando melhorar as práticas de manejo dos cultivos, incluindo o uso apropriado de herbicidas e a adoção de outros métodos de remoção de ervas daninhas.

Em Fábricas na Europa, Austrália e Malásia, os limites legais para o glifosato são mais rígidos do que a maioria dos outros países, como Brasil.
O que não sabemos é se redução do glofosato será apenas para exportação ou se na produção do  consumo interno também havará redução do agrotóxico.

Saiba mais sobre o glofosato aqui.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *