Home office compromete saúde mental do trabalhador

Home office compromete saúde mental do trabalhador
Além de afetar a saúde física, a pandemia do novo coronavírus afetou também a saúde mental de muitos que precisou mudar toda a sua rotina de vida. Dessa forma, compromete a saúde mental dos trabalhadores, fenômeno que mobiliza analistas e pesquisadores que lidam com psicologia laboral.

Assim, os trabalhadores em home office; mesmo com o privilégio de se resguardar do risco de contágio e garantir renda. Precisaram misturar a vida pessoal e profissional em jornadas extensas dentro de casa; contudo o modelo vem mostrando efeitos colaterais, especialmente sobre o estado emocional dos trabalhadores.

De acordo com o expediente, isso tem sido custoso para os trabalhadore, as “Jornadas fora de nexo, que chegam a ultrapassar dez horas, sem que se determine exatamente quando começa ou termina”.

Dessa forma, a psicanalista ressalta que, a exposição permanente ao conflitos entre o público e o privado afeta desde a alimentação até a libido; bem como o sono dos trabalhadores já era afetado antes da pandemia.

Além disso, trabalhadores relatam dificuldade para estabelecer a jornada; q maioria conta que se sente em permanente estado de alerta, como se trabalhasse durante todo o tempo em que está acordada.

Segundo pesquisa do Instituto de Psiquiatria da USP, trabalhar em casa aumentou a jornada em até 65%, e foram as mulheres que sofreram sobrecarga do home office. Pequisa revela que; as mulheres responderam por 40,5% de sintomas de depressão, 34,9% de ansiedade e 37,3% de estresse. “A mulher do home office faz jornada tripla”, diz Paparelli.

 

 

Campanha Vidas Importam 

Veja também:  Ex-diretor da Anvisa alerta sobre variante Índiana “Se chegar, teremos uma onda braba”

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *