Hemocentro começa a selecionar pacientes para estudo clínico de terapia inovadora

Parceria entre a Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto (SP) e o Instituto Butantan, em São Paulo (SP), iniciou o processo de seleção dos pacientes para o estudo clínico da terapia celular CAR-T Cell.

No mês de dezembro do último ano, o Ministério da Saúde liberou R$ 100 milhões para a pesquisa da técnica que usa as próprias células de defesa do paciente modificadas em laboratório para combater o câncer no sangue.

Segundo Rodrigo Calado, diretor-presidente do Hemocentro de Ribeirão Preto, a terapia desenvolvida na USP e no Hemocentro de Ribeirão Preto muda a perspectiva de vida de pessoas que lutam contra a leucemia linfoide aguda de células B e o linfoma não Hodgkin de células B.

“Os 20 pacientes que nós já tratamos até o momento eram pacientes que não tinham mais nenhuma opção terapêutica. Eles já tinham passado por todos os outros tipos de tratamento anteriormente e a doença continuava. Esses pacientes, então, ficaram livres da doença. Isso abre uma perspectiva muito favorável para pessoas que já não têm mais nenhuma perspectiva terapêutica.”

O acompanhamento dos 81 selecionados ao longo de 12 meses acontecerá em cinco instituições de saúde: Hospital das Clínicas, Beneficência Portuguesa e Sírio Libanês, ambos em São Paulo (SP), Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Bem como o Hospital de Clínicas de Campinas (SP).

Os testes clínicos devem durar um ano, mas os pesquisadores estão esperançosos de que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) possa registrar a nova terapia em 2025 para que seja disponibilizada aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências.Apoie e compartilhe