Trombose: Hábitos saudáveis e cuidados com a saúde fazem a diferença

Trombose: Hábitos saudáveis e cuidados com a saúde fazem a diferença

 16 de setembro é Dia Nacional de combate à Trombose TROMBOSE E SUAS COMPLICAÇÕES MATAM UMA A CADA QUATRO PESSOAS NO MUNDO

Pesquisa realizada em parceria com a Bayer serve de alerta para o Dia Nacional de Conscientização e Combate à Trombose

 O tromboembolismo é uma das três principais causas de morte no mundo, depois do infarto do miocárdio e do acidente vascular encefálico. Para alertar a população sobre os riscos da doença, foi instituído no Brasil, dia 16 de setembro, como Dia Nacional de Conscientização e Combate à Trombose

Pesquisa realizada em 2018 pela Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (ISTH), em parceria com a Bayer, revelou que a trombose e suas complicações matam uma a cada quatro pessoas no mundo.

 A Trombose Venosa Profunda (TVP), condição conhecida popularmente apenas por trombose, é a formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias localizadas na parte inferior do corpo, geralmente nas pernas. Quando o trombo se forma na artéria, chama-se Trombose Arterial (TA). A doença pode ser absolutamente assintomática. Entre os sintomas, quando já está presente, estão dor, calor, vermelhidão e rigidez da musculatura na região em que se formou o trombo.

De acordo com o médico Angiologista, Cirurgião Vascular e membro do NACE – Núcleo de Angiologia e Cirurgia Endovascular da Bahia, Bruno Canguçu, o principal risco da trombose é a embolia pulmonar. “Quando um trombo (coágulo) formado numa veia se solta e vai parar na circulação, passando pelo coração, entupindo um vaso do pulmão, isso pode ser fatal”, alerta.

 O médico explica ainda que existem outros riscos. “Quando a trombose é muito extensa, pode acontecer um quadro importante da isquemia (falta de circulação de sangue) da perna com grande possibilidade de perder esse membro ou sofrer alguma amputação por conta desse comprometimento vascular”.

 Para identificar a doença, Canguçu explica que, além dos sintomas, existe um exame específico que é o Doppler Vascular. “Esse é um importante aliado no diagnóstico de trombose. É o principal exame realizado, onde a gente consegue detectar a doença”. O acompanhamento com um Angiologista também é imprescindível.

 “Na consulta já é possível avaliar se o paciente tem predisposição para ter alguma patologia vascular, seja varizes ou uma doença arterial”, esclarece e complementa: “durante um check-up ou numa visita regular, o especialista consegue detectar possíveis fatores de risco que podem ocasionar algum problema vascular e evitar futuras complicações”.

 A Trombose é mais frequente em pessoas com certas condições predisponentes, sendo aquelas que fazem uso de anticoncepcionais ou tratamento hormonal, tabagismo, pacientes que já possuem varizes, insuficiência cardíaca, obesidade ou histórico de trombose venosa.

 “A gente suspeita que existe alguma pré-disposição familiar para trombose, geralmente tromboses mais específicas. Mas isso não significa que, se alguém da sua família teve a doença você também terá. Depende do tipo, qual foi o vaso e a veia acometida”, explica Bruno Canguçu.

 CADA VEZ MAIS JOVENS     

Um dado que tem chamado a atenção dos especialistas é que pessoas cada vez mais jovens estão sendo acometidas pela doença. Estima-se que cerca de 180.000 novos casos de trombose venosa surgem no Brasil a cada ano. Recentemente, a cantora Anitta ganhou destaque na imprensa ao revelar que estava tratando esta patologia.

 Dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular mostram que entre 25 e 35 anos a incidência da trombose é de cerca de 30 casos/100.000 pessoas ao ano, sendo mais comum em indivíduos acima de 40, e com um risco ainda maior a partir dos 60 anos. Já entre 70 a 79 anos essa incidência chega a 300-500 casos/100.000 pessoas ao ano. Da mesma forma a prevalência de embolia pulmonar, uma complicação da trombose, aumenta com a idade.

 “Em qualquer idade, a trombose é um caso de emergência, de urgência, assim que diagnosticada o tratamento tem que ser iniciado o mais rápido possível”, adverte Canguçu.

 MELHOR É BUSCAR A PREVENÇÃO

Ainda que se tenha uma pré-disposição, o angiologista reforça a importância de buscar alternativas que possam prevenir ou minimizar a possibilidade de tromboses. “É preciso praticar atividades físicas, fazer uma dieta saudável, cuidar da hidratação e evitar consumo de bebida alcoólica e cigarro, sendo este último um grande agravante para doenças vasculares em geral”, orienta o médico. “Para as mulheres, o uso de anticoncepcionais e tratamentos hormonais deve ser indicado e controlado por um especialista, uma vez que podem aumentar o risco de ocorrência de trombose”, complementa.

 Para quem trabalha muito tempo sentado, é importante procurar um momento de descanso para movimentar as pernas. A mesma dica para quem faz uma viagem longa: é preciso estimular o movimento das pernas para favorecer a circulação.No Dia Nacional de Combate e Prevenção à Trombose, SBACV explica o que é a doença que pode evoluir para embolia pulmonar e matar Trombose: você sabe o que é?

Hoje, 16 de setembro, é celebrado o Dia Nacional de Combate e Prevenção à Trombose, doença caracterizada pelo desenvolvimento de um coágulo (trombo) dentro de um vaso sanguíneo. Isso causa o entupimento do vaso e dificulta o retorno venoso ao coração.

 

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) alerta que quando não tratado, o trombo pode migrar para o pulmão e causar a embolia pulmonar, que pode ser fatal. Por se tratar de uma doença que muitas vezes é assintomática, identificar se pertence ao grupo de risco é muito importante. De acordo com a estimativa da SBACV, de maneira geral, há 60 casos de trombose venosa profunda para cada 100.000 habitantes ao ano.

 

“A trombose faz parte das doenças do programa do Checkup Vascular, campanha da SBACV que estimula as pessoas a procurarem um especialista para verificar seu risco para as doenças vasculares”, explica o presidente da SBACV, Dr. Ivanésio Merlo.

 

Os sintomas da trombose são: dor, edema (inchaço) unilateral, vermelhidão na pele, cianose (coloração azul arroxeada), dilatação do sistema venoso superficial, aumento da temperatura local, empastamento muscular (rigidez da musculatura da panturrilha) e dor à palpação. “Ao notar qualquer um desses sintomas é preciso procurar uma emergência”, aponta Merlo.

 

Quem tem casos na família da doença tem seu risco aumentado para desenvolvê-la. “Pessoas com familiares com a doença devem fazer um perfil hematológico, exame para verificar a possibilidade de ter trombofilias, uma enfermidade que causa a coagulação no vaso por herança genética”, explica o cirurgião vascular.

 

Embolia Pulmonar

A trombose venosa localizada nas pernas não oferece risco de morte. Entretanto, o coágulo pode se desprender dela, migrar pela corrente sanguínea e se alojar nos vasos sanguíneos do pulmão – conhecido como embolia pulmonar, que apresenta risco de morte. Esse coágulo bloqueia a artéria pulmonar, restringindo o fluxo de sangue nos pulmões. Os sintomas da embolia pulmonar são mais nítidos e o atendimento deve ser feito imediatamente: dor no peito, falta de ar, tosse repentina (com possibilidade de expectorar sangue), sudorese e tontura, entre outros.

 

Risco para desenvolver TVP:

– Idade

– Uso de medicações, como contraceptivos orais, quimioterápicos e tratamentos hormonais

– Obesidade

– Presença de varizes nas pernas

– Gravidez

– Pós-parto

– Tabagismo

– Câncer

– AVC (Acidente Vascular Cerebral)

– Traumatismos, principalmente nas extremidades inferiores (risco de TVP por volta de 70% )

– Doenças crônicas, como insuficiência cardíaca e doenças pulmonares crônicas

– Doenças agudas, como infarto do miocárdio, e infecções, como pneumonia

– Fraturas ósseas

 Nesta quarta-feira (16.09) o Programa Excelsior Saúde lembra o Dia Nacional de combate à Trombose.

A doença juntamente com suas complicações, mata uma a cada quatro pessoas no mundo.

O programa também evidencia que casos de cálculo renal podem ser evitados com hábitos simples.

A  conversa vai ser com a Ayana Vieira, Médica Angiologia e Cirurgiã Vascular que atua no NACE – Núcleo de Angiologia e Cirurgia Endovascular da Bahia e o Médico Urlogista, Augusto Modesto.

O  Excelsior Saúde, acontece das 9 às 10h com transmissão pela Rádio Excelsior AM 840. Acompanhe pelo site: https://redeexcelsior.com.br e participe pelo telefone 71 – 3328-7666 e whats app (71) 9-9681-3998. Acesse todos os conteúdos do programa através do Portal: https://www.portalsaudenoar.com.br/.

Participe!

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *