Guia Alimentar para População Brasileira foi lançado pelo Ministério da Saúde

O Guia Alimentar para População Brasileira foi lançado no dia (05/11), pelo Ministério de Saúde, durante a reunião do Conselho Nacional de Saúde, em Brasília. A publicação orienta sobre qual tipo de alimento comer e traz informações de como preparar a refeição e como se alimentar. Além de sugestões para manter um padrão alimentar saudável, enfrentando os obstáculos do dia-a-dia, como falta de tempo e incapacidade culinária. Clique aqui!

Produzido em parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo e com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde, o Guia, substitui a versão anterior de 2006. O processo de elaboração envolveu profissionais de saúde, educadores e representantes de organizações da sociedade civil de todas as regiões do Brasil. A finalidade é promover a saúde e a boa alimentação, combatendo a desnutrição em todo o Brasil, e prevenir enfermidades em ascensão, como a obesidade, o diabetes e outras doenças crônicas, como AVC, infarto e câncer.

Em sua nova versão, o Guia indica que a alimentação tenha como base alimentos frescos como frutas, carnes, legumes -, e minimamente processados como arroz, feijão e frutas secas, além de evitar os ultraprocessados como macarrão instantâneo, salgadinhos de pacote, refrigerantes, dentre outros.

Refeições caseiras também são orientações do Guia, assim como é advertido  evitar  o consumo de alimentação em redes de fast food  e  de produtos industrializados  como sopas de pacote, pratos congelados prontos para aquecer, molhos, misturas prontas para tortas, dentre outros.

Recomendações como o uso moderado de óleos, gorduras, sal e açúcar ao temperar e cozinhar alimentos, também são mencionados, igualmente ao  consumo limitado de alimentos processados como queijos, embutidos e  conservas. Quanto o assunto é sobre as guloseimas depois do almoço, o Guia, recomenda que o ideal seja preferir as sobremesas caseiras, dispensando sempre as industrializadas.

Ênfase especial também é dada sobre às circunstâncias que envolvem o ato de comer, sugerindo a  regularidade de horário e ambientes adequados, além de aconselhar uma companhia  sempre que possível. O Guia Alimentar ainda adverte que o ideal é desfrutar a alimentação, evitar a refeição assistindo à televisão, conversa no celular, estar em frente ao computador e/ou desenvolvendo atividades profissionais.

Escrito em linguagem compreensível, o Guia Alimentar é voltado diretamente para às famílias, profissionais de saúde, educadores, agentes comunitários e trabalhadores outros que queiram estar inserido na promoção da saúde da população. A versão impressa do documento, conta com 151 páginas ilustradas e será distribuída às unidades de saúde de todo o país. Já a versão digital estará disponível no portal do Ministério da Saúde.

Pesquisa – Dados da pesquisa Vigitel 2013 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) indicam que atualmente 50,8% dos brasileiros estão acima do peso ideal e 17,5% são obesos. Os percentuais são 19% e 48% superiores que os registrados em 2006 – quando a proporção de pessoas acima do peso era de 42,6% e de obesos era de 11,8%.

 

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.