Ecoar - Educação popular e Agroecologia

Ecoar - Educação popular e Agroecologia

Numa parceria de cooperação técnica/conteúdos entre o Programa Excelsior saúde, Portal Saúde no Ar e a Pró-reitoria de extensão da Universidade Federal da Bahia, publicaremos a partir desta data, às quartas-feiras, o Podcast  ECOAR, uma série sobre agroecologia e saúde.

A produção de conteúdos sobre a temática agroecologia/saúde será transmitida à comunidade, através deste Portal e também pelo Programa, Excelsior Saúde, veiculado pela Rádio Excelsior/AM840, tendo a apresentação da comunicadora, Patricia Tosta.

Esta iniciativa tem a coordenação da Profa. Dra. Josanidia Santana Lima (Profa. de Agroecologia/Instituto de Biologia da UFBA) e colaboração dos alunos da disciplina, ACCS- Ação Curricular em Comunidade e em Sociedade/Comercializando a produção agroecológica.

Esta é uma publicação semanal, sempre às quartas-feiras com conteúdos inéditos de interesse da comunidade em geral.

Neste  nono episódio, o tema apresentado é: Educação popular e Agroecologia

Confira o conteúdo desta edição.

Comemoramos no mês de setembro o centenário de Paulo Freire e no dia 15 de outubro o dia dos professores e professoras, dada a relevância da temática, nada mais justo do que tratar no programa dessa semana sobre Educação Popular e Agroecologia, abordando importantes concepções de Freire e homenageando a todos os profissionais da educação. O episódio desta quarta feira do ECOAR – Nosso bate-papo sobre Agroecologia e saúde, traz como entrevistada a Professora Doutora Gilvanice Barbosa da Silva Musial, integrante do Grupo de estudos Paulo Freire, que vai conversar com a gente sobre essa temática tão desafiadora, vocês estão preparados?

Se engana quem imagina que os conceitos de agroecologia e educação popular são muito distantes. Pensar nesses conceitos é entender que a troca de saberes no espaço agroecológico é uma das principais estratégias de educação. Dessa forma, durante a entrevista, Musial traz que para se pensar na integração dos saberes do campo e a educação popular nas salas de aula é necessário superar a concepção de que os estudantes são destituídos de saberes. Para Freire, no ato educativo, não existem ignorantes absolutos nem sábios absolutos, existem homens e mulheres que procuram saber mais.

Nessa perspectiva, qualquer esforço da educação popular deve, através da problematização destes em suas relações com o mundo e com os outros, possibilitar o aprofundamento e a tomada de consciência da realidade na qual e com a qual estão. Em termos curriculares, isso significa incorporar ao currículo escolar as questões urgentes da realidade cotidiana dos povos do campo de forma crítica e não ingênua, tendo o diálogo como ferramenta fundamental na relação educadores e educandos. Porém essa mudança exige um grande esforço de pesquisa e formação de professores e gestores em diálogo com toda a comunidade escolar.

Assim, é importante sabermos que a educação popular ainda enfrenta muitas barreiras e empecilhos que tornam esse saber estigmatizado. Entre eles destacam-se a desvalorização dos saberes dos povos do campo como saberes válidos e dignos de serem estudados no ambiente escolar. Além disso, o desconhecimento sobre as lutas históricas desses povos por direitos à terra e ao território, a educação, saúde, moradia entre outros. E em contrapartida a hipervalorização dos valores urbanos como se fossem o único caminho possível para a construção de sociabilidades modernas.

Participação: Juan Vitor Gramacho /Estudante do Bacharelado Interdisciplinar em Saúde, 4° semestre.

Entrevistada: Gilvanice Barbosa da Silva Musial/ Doutora em Educação, professora da Faculdade de Educação da UFBA e integrante do Grupo de Estudos Paulo Freire e do PPGEdu – FACED/UFBA.

Podcast – ECOAR 08 – Educação popular e Agroecologia

 Ouça na íntegra:

Fonte: outraspalavras.net

O pod cast:

O Ecoar vai ao ar às quartas-feiras, sempre debatendo temas que tenham relação com a agroecologia – ciência que abarca formas de produção e de vida com base na produção limpa, economia solidária e modo de vida que dialoguem com os ciclos da terra e da água, de forma mais respeitosa e justa.  O material é produzido por estudantes da Atividade Curricular em Comunidade e Sociedade – Comercializando a Produção Agroecológica, sob a liderança da Professora Titular, Josanídia Santana Lima, do Instituto de Biologia da Ufba. Mais informações estão disponíveis nas redes sociais com o ig @feiraagroecológicaufba.

SAIBA MAIS:

Edital de inscrição:

Estão abertas, desde o dia primeiro de Outubro, as inscrições para fazer parte da iniciativa como agricultor, produtor ou parceiro da Feira Agroecológica da Universidade Federal da Bahia (UFBA).   O prazo do edital vai até dia 10/11, sendo que será reaberto no ano que vem.

Para fazer parte da Feira é preciso estar alinhado com princípios da agroecologia, dentre os quais estão o  não uso de agrotóxicos e livre de insumos químicos, ter um sistema de transporte próprio e estar disponível para atuar no campus de Ondina, em Salvador, às sextas-feiras, pela manhã, entre outros requisitos disponíveis no edital. O documento abarca os requisitos para a candidatura.

Existem três categorias de inscrição, como agricultor(a) (caso queira ser um produtor, se cadastre; caso já tenha se cadastrado, recadastre-se para retorno da feirinha), colaborador(a) (caso queira ajudar na doação de materiais para a feira, como barracas) e participante (caso queira apresentar alguma palestra, realizar oficinas, yoga, meditação e/ou momento musical, apresentações artísticas).

Inscrição como agricultor(a):  Link 

Inscrição como colaborador(a): Link

Inscrição como participante: Link

Revista da Feira: Link

Outras informações na revista da feira agroecológica da UFBA e nas redes sociais da Feira, basta buscar por Feira Agroecológica da Ufba no Instagram e Facebook.

Conheça os canais de informação sobre a Feira Agroecológica:

Instagram  

Facebook  

Site

YouTube: 

 

Confira também:  Para conferir todas as edições deste PodCast – acesse o link: ECOAR

Sobre o Proext

A Pró-Reitoria de Extensão é responsável por coordenar, fomentar e articular as atividades de extensão universitária das diversas Unidades e Órgãos Complementares da UFBA por meio de programas, projetos, cursos e eventos. Reconhecendo o ensino, a pesquisa e a extensão como indissociáveis, as ações implementadas pela Pró-Reitoria abrangem dois grandes campos do saber – o da Arte e Cultura e o da Ciência e Tecnologia – e compreendem a disseminação desses saberes.Tem como objetivo promover a integração entre a Universidade e a sociedade na troca de experiências, técnicas e metodologias, permitindo ao aluno uma formação profissional com responsabilidade social, dando ao professor oportunidade de legitimar socialmente sua produção acadêmica e elevando a UFBA ao patamar de uma universidade cidadã, voltada para os grandes problemas da sociedade contemporânea. Contato: Pró-Reitoria – (71) 3283-5950

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.