Covid-19: Pesquisador diz que Brasil vive segunda onda

Covid-19: Pesquisador diz que Brasil vive segunda onda

De acordo com o pesquisador Domingos Alves; responsável pelo Laboratório de Inteligência em Saúde (LIS) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto. O Brasil já está vivendo a segunda onda de covid-19.

O pesquisador tem acompanhado há oito meses os dados da pandemia brasileira como um dos responsáveis pelo portal Covid-19 Brasil; a plataforma reúne dezenas de especialistas de diferentes áreas em torno da produção de estatísticas e análises da propagação do novo coronavírus no país.

Dessa forma; de acordo com Alves, o Brasil está vivendo, assim como os Estados Unidos e a Europa, uma nova onda de contágios; segundo as  da taxa de reprodução (Rt) do coronavírus no país, que indica que a pandemia voltou a crescer.

A taxa é calculada com base no aumento de novos casos; dessa forma permite saber quantas pessoas são contaminadas por alguém que já está infectado. Contudo; se o índice fica acima de 1, isso indica que a pandemia está se expandindo. Quando está abaixo, é um sinal de que a pandemia está perdendo intensidade.

Números no Brasil

De acordo com dados do Ministério da Saúde; o país registra 5.947.403 casos confirmados de covid-19; além disso 167.497 pessoas tiveram óbito confirmado pela doença. Ainda assim, 5.389.863 pessoas já estão recuperadas. Nas ultimas 24 horas, foram confirmados 34.091 casos de covid; com 756 mortes.

A taxa era de 1,12 em 16 de novembro, de acordo com o Observatório de Síndromes Respiratórias da Universidade Federal da Paraíba. Isso significa que 100 pessoas irão infectar outras 112, que, por sua vez, irão infectar outras 125. Assim, a epidemia brasileira cresce exponencialmente.

Na mesma data, a Rt estava acima de 1 em 20 Estados (Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins); bem como no Distrito Federal.

A situação estava mais crítica no Paraná, onde a taxa era de 1,62. Já em Santa Catarina a Rt está acima de 1 há mais tempo: desde 14 de outubro.

Média de novos casos volta a crescer

De acordo com dados do MS; a  média móvel da Rt do Brasil está acima de 1 desde o dia 11 de novembro. Ou seja, há quase uma semana. O índice não ultrapassava esse patamar desde o dia 10 de agosto.

Contudo depois de três meses de contração, a pandemia voltou a crescer no país, caracterizando a segunda onda identificada por Alves.

O novo cenário reflete diretamente na média móvel de novos casos registrados no país. Essa taxa vinha apresentando uma tendência de queda desde meados de agosto e atingiu seu menor valor desde então em 6 de novembro, com 13.644 de novos casos.

Porém, voltou a subir. Em 16 de novembro, a média móvel ficou em 28.425 novos casos, um aumento de 208% em questão de dez dias.

Campanha Vidas Importam 

Veja também: Projeto obriga plano de saúde a cobrir tratamento especial para paciente com autismo

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *