CoronaVac: Butantan anuncia que eficácia geral da vacina contra covid-19 é de 50,38%

CoronaVac: Butantan anuncia que eficácia geral da vacina contra covid-19 é de 50,38%

Governo de São Paulo anunciou que a eficácia global da Coronavac é de 50,38%. O número mínimo para aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é 50%.

Além disso, o governo informou que o imunizante atinge eficácia de 100% em casos graves e moderados da doença. A eficácia chega a 78% em pacientes leves ou que precisam de atendimento ambulatorial.

Contudo, esse número representa segmentos por casos, diferente da eficácia global que acontece quando é possível proteger em todos os casos. Dessa forma, a porcentagem do imunizante chega a 50,38%.

De acordo com a nota, nenhum participante das pesquisas desenvolveu a forma grave da doença durante os testes. Ainda assim, especialistas esclarecem que apenas a aplicação em toda população irá dizer se essa vacina precisará ser reaplicada em outros momentos.

No último dia 08 (sexta-feira), o Butantan deu entrada no pedido de uso emergencial da vacina. Contudo, a agência disse que os dados eram insuficientes; assim o instituto voltou a enviar dados no dia 10.

“Essa vacina está esperando para ser usada num país em que, no momento, morrem em torno de mil pessoas por dia. Essa é uma vacina que teria grande impacto. Esperamos que nossas autoridades, especialmente as agências regulatórias, entendam o momento e nos ajudem”. Disse o presidente do Butantan

De acordo com o governo a expectativa é que 9 milhões sejam imunizados na primeira etapa, com a aplicação de 18 milhões de doses, até o dia 28 de março.

Por outro lado, outros países informaram taxas de eficácia diferentes para o mesmo imunizante. Ou seja, em anunciou na segunda (11), a Indonésia nformou eficácia de 65,3%. No final de dezembro, a Turquia disse que o imunizante teve 92,25% de eficácia durante os estudos.

 

Campanha Vidas Importam 

Veja também: Com o fim do Auxílio Emergencial economia do Norte e Nordeste deve sofrer maior impacto

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *