Contaminação química em Simões Filhos

Contaminação química em Simões Filhos

BAHIA DE ARATU 3

Hoje vamos falar sobre Simões Filho e a Baía de Aratu… A Baía de Aratu está localizada no nordeste da BTS e possui em seu entorno mais de 200 indústrias, (químicas, metalúrgicas, siderúrgicas, mecânicas, farmacêuticas e alimentícias). Esse complexo industrial é denominado de Centro Industrial de Aratu (CIA) e teve início na década de 60. A Baía de Aratu é composta ainda por importante área militar, a Base Naval de Aratu, e um porto para escoamento da produção da área industrial, conhecido como Porto de Aratu [1].

As águas da Baía de Aratu alcançam diversas comunidades, dentre elas a comunidade de Santa Luzia. Santa Luzia faz parte do distrito de Simões Filho, essa comunidade situa-se a margem esquerda da BR-324, no sentido Salvador – Feira de Santana, e tem os seus manguezais banhados pelas enseadas da Baía de Aratu.

Esta comunidade tem, dentre outras atividades econômicas, a pesca e a coleta de mariscos como fonte de renda e de alimentação. Essas atividades são desenvolvidas nos manguezais da região, que além de receber os poluentes de uma eletrosiderúrgica vizinha, são banhados pelas enseadas da Baía de Aratu. Alguns estudos já realizados demonstraram que o sedimento, a água e os animais marinhos têm níveis elevados de poluentes como metais tóxicos e compostos orgânicos persistentes [2]. 

Os manguezais, um dos ecossistemas mais produtivos do planeta [3], são de extrema importância para essa comunidade, uma vez que delas provém boa parte das proteínas (mariscos e peixes). Outro aspecto importante quando falamos da Baía de Aratu são os metais pesados como, cádmio, chumbo e mercúrio que representam um grupo de substâncias altamente tóxicas que se acumulam nos tecidos de organismos marinhos. Diversos estudos relatam que essas substâncias podem ser responsáveis por efeitos deletérios a saúde humana [4,5,6]. A comunidade de Santa Luzia consome grande quantidade de frutos do mar provenientes, sobretudo de áreas potencialmente contaminadas. Ela pode estar exposta à riscos de saúde, já que o consumo de frutos do mar é considerado uma das principais fontes de ingestão de metais tóxicos [8]. Quantas outras comunidades banhadas pela baía de Aratu não podem estar nessa mesma situação? Já pensaram nisso? Esse foi o quadro Saúde no ar.

O assunto foi tema do quadro “Meio Ambiente e Saúde”, veiculado às quartas-feiras pelo programa Saúde no Ar. na Am 840  e Rádio Web Saúe. Sintonize!

Cecília AraújoOuça o comentário, da Porfessora Cecilia Freitas da Silva  Araujo:

Redação: Saúde no Ar

Texto: Cecilia Araújo

Foto: Internet 

 

 

Saiba mais:

Bahia de Todos os Santos aspectos oceanográficos

LOGO NUTRIÇÃO UFBA

Desde o ano de 2017 a Escola de Nutrição/UFBA,desenvolve o projeto de Extensão,“Nutrição, meio ambiente e saúde no ar: comunicação em saúde e cidadania”, sob a coordenação da Profa Ma.Neuza Maria Miranda dos Santos e colaboração do Grupo Germen, e da  aluna bolsista do projeto Permanecer, Thuane Policarpo.Para participar do Projeto que tem como objetivo apresentar e discutir temas de saúde, em seu conceito ampliado, além de difundir informações científicas sobre nutrição, alimentação saudável e qualidade de vida, basta enviar perguntas ou sugestões de temas para o email: produção@portalsaudenoar.com.br ou uma mensagem de texto ou áudio para o WhatsApp: 71-9968-13998.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *