Benchmarking das Filantrópicas: um case de sucesso

Benchmarking das Filantrópicas: um case de sucesso

Benchmarking 2016Compartilhar experiências de sucesso foi o caminho encontrado pelas Entidades Filantrópicas da Bahia para superação da crise financeira, sair do endividamento e da desesperança para uma caminho de inovação, conquistas e motivação para o futuro. A iniciativa da Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas da Bahia (FESFBA) com a realização do Benchmarking de Entidades Filantrópicas de Saúde, realizado na última segunda-feira (12.12) abriu espaço para que o setor encontre na própria rede as resposta para a solução dos problemas. A fórmula é simples e pelo resultado do encontro, bastante eficaz: ver na experiência do outro a motivação, as ações e soluções para enfrentar as dificuldades é o primeiro passos para o enfrentamento rumo ao sucesso.

A primeira edição teve 20 inscritos, desses oito foram selecionados e apresentados a uma banca que indicou os 3 finalistas. A Santa Casa de Misericórdia de Vitória da Conquista, com 102 anos de história na filantropia, há 12 anos quase fechava as portas, o que representaria uma grande perda para a saúde da cidade e mais 90 municípios do sudoeste baiano. Hoje depois da coragem e determinação de fazer mudanças estruturais, a começar da redefinição da missão e visão, passando por um forte trabalho de planejamento estratégico, vive hoje uma situação estável e com perspectiva de crescimento. O rico exemplo do case apresentado no Benchmarking de Entidades Filantrópicas da Bahia, rendeu o primeiro lugar: “Reestruturação Estratégica da Santa Casa de Vitória da Conquista.” O segundo lugar ficou com o Hospital Santa Izabel, da Santa Casa de Misericórdia da Bahia, com o case “Stewardship de Antimicobrianos do HSI”, o projeto implantado e conduzido por uma equipe multidisciplinar, propõe uma microbiota mais saudável e melhor gestão dos custos como os tratamentos de infecção. O objetivo final é proporcionar uma melhor experiência para o paciente em termos de cura de infecções e redução de mortalidade, assim como reduzir ou estabilizar a resistência bacteriana, prevenir eventos adversos e redução dos custos com o tratamento. O programa que envolveu os serviços de infectologia, microbiologia, farmácia clinica e lideranças médicas do Hospital  foi implantado em fevereiro e de acordo com a diretoria técnica já conseguiu reduzir as taxas de mortalidade  por infecção  melhorando o perfil de sensibilidade aos Antimicrobianos e em 7 meses teve uma farmacoeconomia no valor de R$ 486.294,63. O terceiro lugar na iniciativa da Federação das Santas Casas, ficou com o Hospital Martagão Gesteira com o case “ Campanha Um Dia pode Mudar o Mundo”. A parceria  com o Grupo de Apoio à Criança com câncer (Gacc-Ba) possibilitou ao Martagão ser contemplado com a campanha  MC Dia Feliz de mobilização pela cura do Câncer infanto-juvenil. O esforço conjunto teve como resultado  um recorde de arrecadação levando a capital Salvador a subir para a sexta colocação nacional. Uma prova que união, solidariedade e estratégia de mobilização social com apoio da mídia podem ser também a chave de sucesso para as entidades filantrópicas.

A comissão julgadora teve dificuldades para selecionar os três primeiros colocadas, em razão da elevada qualidade dos sete cases apresentados. Também mostraram cases, as Obras Sociais Irmã Dulce, com a bela experiência do “Sarau Dulce”, inspirado nas visitas feitas pelas crianças, adolescentes e seus acompanhantes ao Memorial, conduzidas pela Terapeuta Ocupacional e orientadas pela Pedagoga. Essa ação simples revelou que é possível usar a arte e suas diferentes linguagens como recursos terapêuticos promovendo o lúdico, a humanização e a socialização na tentativa de diminuir os impactos da hospitalização. Com o custo que pode ser abaixo de R$ 200,00 (duzentos reais) a ação tem trazido grandes resultados traduzidos na satisfação do público alvo. O impacto na melhoria do quadro clinico das crianças, assim como a diminuição do tempo de internação após implantação do projeto ainda estão em analise.

Outra iniciativa simples,  com custo zero, mas com grande perspectiva de projeção e impacto social é a ação que orienta o descarte correto de medicamentos que envolveu todos os colaboradores do Hospital Humberto Castro Lima em uma parceria com o Conselho  Regional de Farmácias. Merecem destaque também os cases apresentados pela Fundação José Silveira-Hospital Santo Amaro,“Gestão do Desempenho de faturamento”que mostrou que um olhar mais atento amplia a percepção de que existe potencial para otimização dos tempos de tramitação das contas, tendo como resultado o aumento do faturamento por antecipação de receita e não somente pelo aumento da produção. O incremento do faturamento superior a 20%, sem investimentos significativos, é a prova que a solução para um problema, pode passar também por um maior controle dos processos internos. O Hospital São Rafael, investiu na capacitação do corpo técnico da unidade e trouxe para o Benchmarking das Filantrópicas de Saúde, o “Portal de Cursos EAD (Educação à Distância) uma maneira de solucionar uma das grandes questões do segmento: treinar o maior número de colaboradores em um menor período de tempo e com menor custo. As seis metas internacionais de Segurança do Paciente foi o tema proposto para o primeiro módulo que já tem perspectiva de ampliação. A segunda fase será testar a adesão e a aplicação prática dos conteúdos adquiridos.

 O presidente da FESFBA, Mauricio Dias, disse que o Benchmarking passa agora a integrar o calendário da Federação das Santas Casas. E pelo elevado nível dos trabalhos,  anunciou que fará oficinas para apresentação de todos os cases inscritos este ano, para ampliar a troca de experiências exitosas de gestão e assistência à saúde entre os filantrópicos associados à FESFBA.

Momento Caixa

O Benchmarking, teve um momento muito importante para os filantrópicos: o encontro promovido pela Frente Parlamentar das Santas Casas e Caixa Econômica Federal (CEF) para debater o refinanciamento das dívidas das entidades filantrópicas que atuam na área da saúde.O encontro discutiu as linhas de crédito BNDES Saúde e Caixa Hospitais, voltadas para capital de giro e reestruturação do endividamento bancário e com fornecedores. Foi ressaltada, ainda, a importante conquista do setor, com a ampliação do prazo de pagamento das operações, pelo Caixa Hospitais, de 84 para 120 meses, o que tem dado um novo fôlego para as entidades. Participaram do evento o presidente da Frente Parlamentar das Santas Casas no Congresso, deputado Antonio Brito, o presidente da FESFBA, Maurício Dias; o diretor Corporativo da Caixa, Hermínio Basso; o superintendente da Caixa Salvador, Leandro Silva Araújo; e Adelson Prata, representando o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas -Boas.

Integraram a Comissão Julgadora do Benchmarking: os jornalistas Levi Vasconcelos(A TARDE), a gerente Corporate da Caixa Econômica Federal, Tatiane Suarez, o consultor em Gestão de Saúde, José Saturnino Rodrigues e a coordenadora geral da DeVry Ruy Barbosa (Rio Vermelho), Claudia Simão e a Coordenadora do Projeto Saúde no ar, Patrícia Tosta. 

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *