Prefeitura desenvolve ações de valorização da população negra e afrodescendente 

Prefeitura desenvolve ações de valorização da população negra e afrodescendente 
Na  segunda-feira (18),  foi realizado um seminário pela Secretaria Municipal da Reparação (Semur) em celebração ao aniversário do Conselho Municipal das Comunidades Negras.
Em comemoração ao dia da Consciência negra, nesta quarta- feira, 20/11,  ás 19 h, será realizada uma live   na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) sobre o Programa de Combate ao Racismo Institucional e sobre a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra.
Nos dias 21 e 22 de novembro um seminário vai discutir a discriminação e o racismo na saúde em uma programação que vai das 8h30 às 17h30, na Universidade Católica do Salvador, no bairro da Federação.
Outras atividades ocorrem durante todo o mês nas unidades de saúde do município. Palestras, rodas de conversa, relatos, café da manhã, sessão de maquiagem, confecção de turbantes, oficinas de bonecas artesanais negras (Abayomi), desfiles, apresentações artísticas e exibição de documentário fazem parte da programação.

A programação da Semur segue até o dia 29 com seminários, encontro, roda de conversa, qualificações e um diagnóstico socioeconômico da população negra.

Saúde – Aliada à Semur, a SMS também realiza diversas ações de combate ao racismo e de visibilidade e equidade da saúde de pessoas negras.  Nos últimos dias 7 e 14 nos bairros de Periperi e Itapuã, foram realizadas duas feiras de saúde,

As feiras promoveram orientação e serviços como aferição de pressão arterial, glicemia capilar, eletroforese de hemoglobina (para diagnóstico da anemia falciforme), avaliação e triagem para câncer bucal, atendimento médico e teste rápido.

Denúncias – A Semur conta com o observatório permanente da Discriminação Racial e LGBT, Violência contra Mulher, situado na Avenida Carlos Gomes, no Clube de Engenharia da Bahia. Casos de racismo e de discriminação podem ser feitas presencialmente nesse endereço, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Também é possível denunciar pelo site do observatório e pelo WhatsApp 71 98622-5494.

Educação – Além das atividades pontuais, a Prefeitura dá uma atenção especial ao ensino da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana nas escolas da rede durante todo o ano letivo. Na Escola Municipal Gersino Coelho, em Narandiba, por exemplo, a professora Lorena Costa desenvolve várias oficinas que abordam a inserção e a representatividade do povo negro na sociedade.

Um deles é o projeto “Meus Super-heróis Também Podem Ser Negros”, que tem como objetivo promover uma reflexão sobre as questões raciais, buscando trabalhar valores éticos e morais a partir das histórias e filmes com protagonistas negros.

Na Escola Municipal Consul Schindler, no bairro de São Caetano, a professora Claudia Maria Torres Mattos criou, há oito anos, o projeto “Rei e Rainha Azeviche”, que discute preconceito, autoestima e posição do negro na sociedade, por meio de desfiles de turbantes, sarau literário, biografia de personalidades negras, entre outros eventos.

O projeto é executado durante todo o ano e contempla todas as crianças da unidade escolar, inclusive pais e responsáveis.”Nosso objetivo é trabalhar a história do povo negro. De fevereiro a novembro, o projeto é trabalhado com os subtemas: mulheres negras da nossa história, datas importantes que não estão nos livros didáticos e estética afro. Finalizamos com a dança afro e com o concurso do rei e da rainha da escola”, explica a professora.

Turismo – Para inserir a população afrodescendente da capital baiana na cadeia produtiva do turismo e valorizar a mulher em atividades relacionadas ao setor, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) lançou em maio o Plano de Ações Étnico-Afro. O documento foi elaborado nos últimos seis meses sob a coordenação da Secult e deve ser apresentado ainda esse mês para a população.

Um aporte de cerca de R$ 15 milhões será destinado à área de qualificação, capacitação e de criação de produtos. A iniciativa é composta por quatro eixos: Informação e Governança, Capacitação e Renda, Produtos Turísticos e Ações Integrativas. O plano prevê inclusive o fortalecimento do ofício das baianas de acarajé e a realização de um grande evento para divulgar produtos e serviços afro nos meses de novembro, a partir de 2020.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *