O pilates como prática complementar integrativa do Sus

O pilates como prática complementar integrativa do Sus

Cristiane Marques P. Xavier1

Paulo Rodrigo Santos Aristides2

1. Fisioterapeuta. CREFITO: 65502-F

2. Profissional de Educação Física. CREF: 2368-G/Ba

Contrologia é a correta coordenação do corpo, da mente e do espírito. Por meio dela, desenvolve o corpo uniformemente, corrige a má postura, restaura a vitalidade física, revigora a mente e eleva o espírito”. Joseph Pilates

O Pilates é um método de educação corporal amplamente difundido pelo mundo. grande parte da população, se ainda não praticou, pelo menos já escutou falar sobre os benefícios proporcionados pela prática regular desta atividade. atualmente, em muitos lugares é possível encontrar espaços privativos que ofertam esta modalidade utilizando aparelhos e/ou exercícios no solo.

A modernidade foi marcada por um paradigma que fomentou o pensamento materialista, o consumismo e o imediatismo. neste contexto, as técnicas de cuidados em saúde passaram a ser vendidas como um remédio eficaz contra os males corporais provocados pela vida moderna, além de servirem muitas vezes como afirmação de um suposto status socioeconômico.

Essa forma reducionista de compreender a saúde provocou um impacto negativo e restritivo sobre a criação e difusão de diferentes técnicas de recuperação e promoção da saúde. O pilates, por exemplo, costuma ser apresentado somente pelo viés de benefícios físicos, tais como: melhora de flexibilidade, aumento da força muscular, recuperação de lesões e reeducação postural. Tudo isso é real, no entanto, está muito longe do que o seu criador, Joseph Pilates, propôs.

Com a recente inclusão do método Pilates como Prática Integrativa e Complementar (PIC) no Sistema Único de Saúde (SUS), faz-se necessário o resgate de princípios, valores e pressupostos dessa prática que estejam em consonância com a proposta de recuperação e promoção de saúde que há muitos anos vem sendo construída e brilhantemente defendida para o SUS, em benefício da população.

Assim, é importante ressaltar que no sistema teórico-filosófico do Pilates há consistentes críticas ao modelo de sociedade (consumista, predatório) instituído na época e que ainda persistem nos dias de hoje, bem como, uma proposta clara de luta contra esse sistema social, que promovia o adoecimento da população ao mesmo tempo em apresentava soluções apenas medicalizantes e hospitalocêntricas.

Durante o percurso de desenvolvimento do seu método, originalmente chamado de contrologia, Joseph Pilates acumulou conhecimentos de variadas ciências da saúde tanto ocidentais e quanto orientais. Seguro do trabalho que realizara, Pilates afirmou que seu método transformaria as palavras “saúde” e “felicidade” em condições reais e não apenas em aspectos teóricos.

Quem teve o cuidado de ler as obras escritas pelo próprio Joseph, pôde perceber claramente os fundamentos holísticos do seu trabalho, no qual observa a multifatorialidade de questões que influenciam a saúde. Alimentação saudável, boas noites de sono, melhora dos níveis de atividade física, cultivo a espiritualidade, interações sociais, coordenação corpo-mente. Todos esses aspectos estão presentes em sua obra.

Como dissemos anteriormente, já na sua época por volta de 1945, Joseph fazia duras críticas à sociedade moderna e à mercantilização da saúde. ele responsabilizava os sistemas modernos pelos males da saúde e citava os graves pecados cometidos pelo ser humano contra a grande natureza. por isso, dentre outras coisas, postulava que o primeiro requisito para a felicidade seria conquistar um bom condicionamento físico (aqui entendido como o harmonioso equilíbrio entre mente e corpo), e isso seria possível pela prática diária do seu método, que inclusive, pode ser praticado em casa e com baixo custo.

Muito similar ao que foi preconizado por Joseph Pilates, as PIC´s também nos dizem que a doença é reflexo da desarmonia do corpo, causada tanto por fatores espirituais como pela artificialidade da vida moderna, e que a cura depende do retorno ao equilíbrio natural do organismo. Também aborda as ideias de bem-estar e de qualidade de vida atreladas ao trabalho corporal de retorno ao natural, enfatizando as práticas de autocuidado mas sem menosprezar os aspectos socioambientais.

Diante de tudo que foi abordado, fica clara a necessidade de resgatarmos essa perspectiva holística da prática do Pilates, de revisitarmos a técnica nos seus princípios, tais quais foram idealizados pelo seu criador, e assim, levar à população um método integralista, que se propõe a cuidar do indivíduo buscando sempre esse equilíbrio entre corpo e mente. E, assim como desejou o Joseph Pilates, fazer com que seu método alcance e beneficie o maior número possível de pessoas.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *