Mortes por covid-19 podem ser três vezes superiores a números oficiais

Mortes por covid-19 podem ser três vezes superiores a números oficiais

Estudo científica publicado na The Lancet,  revela que desde que a covid-19 foi identificada, em dezembro de 2019, mais de 18 milhões de pessoas morreram devido à doença. Segundo o estudo, o número de vítimas da infecção provocada pelo SARS-CoV-2 é três vezes superior ao que indicam os números oficiais.

De acordo com a pesquisa, até 31 de dezembro de 2021, a covid-19 causou a morte a 18,2 milhões de pessoas em todo o mundo; mais que o triplo dos dados notificados pelos governos e as autoridades de saúde, diz a pesquisa.

“Embora o número de mortes por covid-19 registradas entre 1º de janeiro de 2020 e 31 de dezembro de 2021 seja de 5,94 milhões em todo o mundo, estima-se que tenham morrido 18,2 milhões de pessoas (com intervalo de incerteza de 95% entre 17,1 e 19,6) nesse período”; diz o artigo, feito em colaboração internacional entre 97 cientistas de 20 instituições.

Além disso, o texto revela que as taxas de mortes em excesso variaram amplamente entre regiões; embora o número de óbitos resultantes da pandemia tenha sido muito maior, particularmente no Sul da Ásia e na África Subsaariana.

“Estima-se que o excesso de mortalidade seja de 120 mortes por 100 mil habitantes no mundo e que 21 países tenham taxas de mais de 300 mortes em excesso por 100 mil habitantes”, adianta o estudo.

Assim, o estudo calcula que em nível nacional, “os números mais altos de excesso de mortes cumulativas devido à covid-19 foram estimados na Índia; nos Estados Unidos, na Rússia, no México, Brasil, na Indonésia e no Paquistão. Só esses sete países podem ter sido responsáveis por mais de metade das mortes em nível mundial durante esse período de 24 meses”.

 

 

 

Campanha Vidas Importam

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.