Método da consciência

MÉTODO DA CONSCIÊNCIA

“Todos os Seres Humanos vivem iluminando-se;
uns inconscientes, outros conscientes”.
(Jair Tércio, 2009)

A Consciência do Ser Humano é determinada tanto pelas escolhas que ele faz, quanto pela forma com que ele conclui cada uma delas. É certo que todos nós temos Consciência, embora nem todos se atentem para tal fato. Contudo, somente quem já vive, de forma voluntária, consciente e ciente, despertando-a, construindo-a e/ou desenvolvendo-a pode beneficiar-se dela, em todas as circunstâncias do viver. Mas só sabemos que a temos quando a sentimos e agimos, concomitantemente, com base nela. Eis que a Consciência se inicia com a atenção; e ir contra ela não é certo, não é legal, não é são.

Estudos profundos e precisos acerca das questões que envolvem a temática da Consciência, seus determinantes e suas implicações vêm sendo realizados nas diversas áreas do conhecimento nos últimos anos, o que comprova ampliação de reflexões sobre o tema, e se configura como componente de fundamental contribuição para o processo de desenvolvimento integral do Ser Humano. E a fim de que ele possa viver integrado, portanto, em equilíbrio dinâmico, muito importa empreender esforços no sentido de mudar sua forma de viver; no entanto, só se muda a forma de viver através do despertamento, construção e desenvolvimento da Consciência. Para tanto, inclusive, paciência, persistência e inteligência; atenção plena, vigilância constante e percepção inabalável;   razão, bom senso e boa intenção; bem como sabedoria, força e beleza nas ações são fundamentais.

Lembremos que a Consciência está em toda parte, em todo o Cosmo, em todos os reinos da Natureza e, finalmente, nas partículas subatômicas, onde se revela como reatividade inteligente. No entanto, o caminho que a humanidade percorreu nas diferentes etapas evolutivas levou a um desenvolvimento unilateral de suas potencialidades, provocando um desequilíbrio na forma de vida, responsável pelos problemas que hoje vivenciamos. No entanto, o Ser Humano que já tem Consciência de sua utilidade individual e social, age e interage com base, não só no conhecimento, mas também no autoconhecimento, pois compreende que a Consciência precisa ser desenvolvida em todo o seu potencial, explorada, expandida e aprofundada no contato consigo, com o que está à volta e com o universo como um todo. E essa é a condição para alcançar a plenitude.

Na perspectiva da psicologia transpessoal, o desenvolvimento da Consciência pode atingir diversos níveis, inclusive ordens mais elevadas de unidade, identidade e integração, que resultam na unidade universal e na Identidade Suprema. O que fortalece a máxima de que a Consciência não é abstração; não é algo intocável, mas sim aquilo que somos na totalidade do nosso Ser. Eis que muito importa ao Ser Humano buscar, em seu viver, envolver-se não somente com a cultura material, ou seja, aquela que lhe oportuniza a especialização, e que com a qual embasa o seu agir; mas também envolver-se com a cultura espiritual, ou seja, aquela que lhe oportuniza a redenção, porquanto o auxilia também a que desperte, conheça, desenvolva, mantenha e use o seu potencial, ou melhor, o seu sentimento já existente, bem como a construir novos sentimentos, que lhe favoreçam despertar a sua Consciência.

Assim sendo, estará em condições mínimas, indubitáveis, para planejar o seu viver de maneira plena, que envolve as dimensões pessoal, profissional, bem como espiritual; podendo gerenciá-lo a que produza, como fatos, os resultados plausíveis e razoavelmente úteis, esperados. Com isso é, senão impossível, pouco provável haver, no cotidiano das suas relações, os desconfortos, desalentos e desencontros. Para tal, sugerimos a prática de uma Ciência de Iluminação, dentre elas a reflexão, concentração, meditação, vibração, percepção, contemplação e exaltação. É, seguramente, o método mais direto, correto e completo de despertamento, construção e/ou desenvolvimento da Consciência. São exercícios cujas vibrações ativam regiões importantes de nosso cérebro, potencializando as nossas estruturas psíquicas, capazes de nos favorecer maior domínio sobre nós mesmos, sobre nossos medos, culpas e apegos, nos auxiliando, consequentemente, a saber lidar melhor com o Todo do viver.

Maribel Barreto – Diretora Executiva da CCE – Consultoria em Ciências da Educação

www.maribelbarreto.com.br

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *