Manchas de óleo aumentam no litoral do nordeste

Manchas de óleo aumentam no litoral do nordeste

 

Um gabinete de crise foi criado neste sábado (5) pelo governo de Sergipe para solucionar o problema ambiental no litoral do estado. Desde de 24 de setembro, as praias do litoral nordestino foram tomadas por manchas de óleo.

“A decretação da situação de emergência vai possibilitar a captação de recursos junto ao governo federal para que os serviços possam ser realizados nesse momento de crise”, informou o diretor da Defesa Civil Estadual, Cel. Alexandre José Silva.

Pelo Twitter, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que o presidente Jair Bolsonaro determinou urgência nos trabalhos para identificar a origem do problema.

 

Manchas chegaram na Bahia, na última quinta-feira.

Segundo confirmação do Ibama e da Marinha, as manchas de óleo que atingiram várias localidades do litoral no Nordeste chegaram à Bahia na quinta-feira (3), no distrito de Mangue Seco, na cidade de Jandaíra, no Litoral Norte.

Em nota, a Marinha diz que as manchas de óleo estão em área de sua jurisdição e o Comando do 2º Distrito Naval encaminhou ao local uma equipe de Inspeção Naval (IN).

A equipe da Capitania dos Portos da Bahia que já está lá confirmou a presença de resíduos oleosos que têm as mesmas características visuais dos que foram encontrados em todos os outros estados do Nordeste.

O Ibama diz em nota que “está confirmada a chegada do óleo na Bahia”. Diz ainda que equipes do órgão estão em campo para mais averiguações e que até o fim do dia vai atualizar todas as localidades afetadas. O último balanço, divulgado ontem ao fim da manhã, traz 124 localidades afetadas em 59 municípios de oito estados nordestinos – até então, todos menos a Bahia.

Lista de locais atingidos segundo último levantamento do Ibama:

Alagoas: 13 locais
Ceará: 10 locais
Maranhão: 11 locais
Paraíba: 16 locais
Pernambuco: 19 locais
Piauí: 2 locais
Rio Grande do Norte: 43 locais
Sergipe: 10 locais
Investigação e impacto
Uma investigação do Ibama, com apoio do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, aponta que o petróleo que está poluindo todas as praias seja o mesmo, e a origem não é do Brasil.

“Esse tipo de acidente nunca tinha acontecido aqui no Brasil. Normalmente, as manchas de origem desconhecida, que é o caso dessa, são de pequeno impacto e abrangem só um estado. É a primeira vez que a gente está vendo um acidente, sem poluidor conhecido, atingir tantos estados”, explicou a coordenadora geral de Emergências Ambientais do Ibama, Fernanda Pirillo.

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *