Japão quer conter ressurgência do coronavírus sem restringir população

Japão quer conter ressurgência do coronavírus sem restringir população

Em encontro com a força-tarefa encarregada de lidar com a questão do coronavírus no escritório do primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, disse que visa obter a recuperação das atividades econômicas e sociais sem restringir o movimento da população, ao mesmo tempo que lida com a ressurgência das infecções com o coronavírus.

Na reunião, foram revisadas medidas básicas de combate ao contágio para incluir um sistema que permita a realização de testes antes que as pessoas voltem às suas cidades natais para visitar parentes idosos durante as férias de verão. As medidas pedem também o estabelecimento de ventilação eficaz.

De acordo com Kishida o governo vai promover esforços para ajudar no restabelecimento de atividades socioeconômicas. Ao mesmo tempo que mantém o nível mais alto de alerta e fortalece o sistema médico. Ele acrescentou que não está considerando restringir o movimento da população por enquanto.

Além disso, o governo local pretende disponibilizar a quarta dose da vacina para funcionários de instalações para idosos e trabalhadores sanitários a partir da próxima semana. Atualmente a quarta dose da vacina vem sendo disponibilizada para pessoas com 60 anos ou mais de idade, ou pessoas de 18 anos ou mais que sejam portadoras de comorbidades.

O premiê japonês disse ainda que vai criar centros de testes de coronavírus gratuitos em mais de 100 locais, como grandes estações de trens e aeroportos.

Kishida disse que quer pedir à população que continue tomando as precauções de combate à infecção, como usar máscaras dentro de edifícios e lavar bem as mãos, e que planeja também informar às pessoas sobre maneiras eficazes de ventilar cômodos que têm ar-condicionado.

 

 

 

 

Campanha Vidas Importam