Informe Saúde - 01/03

Informe Saúde - 01/03

Informe Saúde, é transmitido de segunda a sexta na Rádio Excelsior da Bahia, no Programa de Patrícia Tosta,  “Excelsior Saúde”. São os destaques das notícias de saúde. desta manhã, selecionadas pelo Jornalista, Jorge Roriz.

No domingo, 28 de fevereiro foi comemorado o dia mundial das doenças raras. A Data é lembrada em mais de 60 países e tem por objetivo alertar a população. Um dos grandes problemas enfrentados pelos pacientes é o diagnóstico Tardio. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM),criou uma campanha nas redes sociais para esclarecer à população.

O presidente Bolsonaro tem até esta segunda- feira, 01/03 para sancionar ou vetar a Medida provisória 1026 aprovada no Senado, facilita a importação de insumos e vacinas pelos estados e municípios sem registro na Anvisa desde que aprovadas por agencias reguladoras de saúde internacionais dos Estados Unidos, União Europeia, Japão, China, Reino Unido, Canadá, Coreia do Sul, Rússia e Argentina, caso a União não tenha adquirido doses suficientes para os grupos prioritários.
Já existe outra lei a 13.979 que concede esta autorização, mas só inclui ,agencias do Japão, china, união europeia e EUA.

O STF também já decidiu ser favorável a essa medida por 11 votos a zero.

Em Salvador nesta segunda- feira estão sendo vacinados os profissionais de saúde e idosos com idade de 81 anos ou mais.

O prefeito Bruno Reis participou, no último sábado (27), de uma reunião virtual entre os integrantes da Comissão de Vacinas da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), para debater a criação o do consórcio de municípios para a importação de vacinas, insumos e medicamentos

A ação, considera a recente decisão do Supremo que permite a estados e municípios a aquisição de doses diretamente dos fabricantes. o consórcio será implantado ainda este mês.

45 entidades médicas fazem manifestação pelo uso de máscaras.

Uma decisão da ministra Rosa Weber, do STF, obriga o governo federal a reativar imediatamente leitos de UTI que foram fechados em São Paulo, na Bahia e no Maranhão. Nas ações, os governos dos três estados alertam para o iminente colapso no sistema de saúde e para a falta de colaboração da União.

Jorge Roriz

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *