Fim da violência contra mulheres: quais os caminhos possíveis?

TAIS DA HORA ADVOGADA ANDERSON REIS PROF. ENFERMAGEM MAJOR MUNICE SANTHIAGOO Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres é celebrado anualmente em 6 de dezembro. A data tem como objetivo conscientizar os homens sobre o papel que precisam desempenhar no combate para o fim da discriminação e violência contra as mulheres. 

No Brasil, o dia 6 de Dezembro foi oficializado sob o decreto da Lei nº 11.489, de 20 de junho de 2007. A escolha dessa data se deu a um trágico acontecido na Escola Politécnica de Montreal (Canadá). Um jovem canadense de 25 anos, invadiu uma sala de aulae ordenou que todos os homens abandonassem o local, para que pudesse assassinar todas as mulheres daquela turma.  Comovidos e chocados com este caso, um grupo de homens canadenses criou a Campanha do Laço Branco (White Ribbin Campaign), um movimento que visa fomentar a igualdade de gêneros e uma nova visão sobre a masculinidade. Assim, o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres nasceu como um “fruto” da Campanha Laço Branco, que no Brasil é coordenada pela Rede de Homens pela Equidade de Gênero.  O assunto foi tema do Programa Saúde no ar desta quinta 6, sob o comando de Patrícia Tosta que recebeu como convidados a Advogada especialista em Direito da Família e Sucessões, atuante no Combate à Violência Doméstica e Familiar, Advogada do Centro de Referência Loreta Valadares e da Casa de Acolhimento da Mulher Soteropolitana, Tais dos Santos. A comandante da Operação Ronda Mª da Penha, Major Denise Santiago e o Professor da Escola de Enfermagem da UFBA e Membro do grupo Vida, Anderson Reis. 

 

 

Foto: Produção Saúde no ar 

Redação saúde no ar (DS)

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *