Consórcios podem ser alternativas para a saude municipal

MUNICIPIO

Um novo modelo de financiamento para a saúde, que busca ofertar mais serviços, descentralizar a assistência e auxiliar no reequilíbrio das finanças municipais será assunto discutido nesta sexta-feira (20), em reunião na capital baiana. O encontro acontece no auditório da União dos Municípios da Bahia, no Centro Administrativo, às 9h, e conta com a presença do governador Rui Costa e do o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, além dos presidentes de consórcios públicos e dos prefeitos municipais.

Ao perceber e entender que o município sozinho não tem condições de ofertar integralmente os serviços necessários à população, o Estado da Bahia propõe o consorciamento interfederativo de saúde como alternativa. A intenção da proposta é que até 2016, sejam formados dez consórcios e construídas dez policlínicas, além de disponibilizar até 13 especialidades, tendo o Governo da Bahia e os municípios como gestores.

Na ocasião será apresentado todas as etapas minuciosamente para o consorciamento, o modelo de policlínicas, o total a ser investido na construção e aquisição de equipamentos, bem como o percentual de recursos aplicados pelo Estado em cada um dos consórcios na manutenção dos serviços.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.