Comida de rua - Aspectos sanitários

Comida de rua - Aspectos sanitários

Controle higiênico sanitário de alimentos comercializados nas vias públicas da cidade de Salvador.

O comércio de alimentos em vias públicas por vendedores ambulantes pode constituir um alto risco para a saúde dos consumidores, pelo fato de que as pessoas envolvidas nesta atividade, geralmente, não têm preparo e conhecimento da manipulação correta do alimento. É importante que este tipo de comércio seja acompanhado por um controle de qualidade mais efetivo, com a finalidade de proporcionar segurança aos alimentos e ao consumidor. Os alimentos vendidos por ambulantes são caracterizados por serem produtos prontos para o consumo ou preparados no próprio local de comercialização, como: pontos de venda próximos a centros comerciais, em frente a escolas, estacionamentos e em locais de maior tráfego de pessoas.

Diante do crescimento e da consolidação deste segmento em todo o mundo, a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e a FAO, estabeleceram programas e recomendações que visam à aquisição e consumo de alimentos seguros, através de ações de proteção contra todos os perigos que possam tornar os alimentos prejudiciais à saúde dos consumidores, de forma aguda ou crônica.

Estudos desenvolvidos em diversos países, constataram contaminação microbiana dos alimentos comercializados nas ruas, identificando a veiculação de microrganismos tais como: Staphylococcus, Clostridium, SalmonellaVibrio cholerae, entre outros. Em Salvador-BA, além dos alimentos de rua que identificam e fazem parte da história e da cultura baiana, diversos produtos manufaturados, industrializados e in natura são facilmente encontrados nas ruas da nossa cidade, compondo um diversificado cardápio popular. Vale salientar que, alguns estudos já foram e vem sendo realizados pelo grupo de pesquisa da UFBA, SACIA, versando sobre a estrutura e higiene dos pontos de venda de alimentos comercializados nas vias públicas de Salvador, nos quais foram identificados precárias condições de manipulação e conservação dos alimentos, falta de higiene, dos alimentos e dos pontos de venda, falta de proteção contra vetores e do modo como são descartados os resíduos sólidos e líquidos desta atividade. É necessário que o poder público, reconheça e apoie o segmento de comida de rua, no sentido de desenvolver ações intersetoriais sustentáveis, visando à efetividade das estratégias de intervenção, para o controle higiênico sanitário e melhoria deste comércio, essa é a nossa esperança.

Juçara Soledade – Nutricionista CRN 5 nº 5614, mestra em alimentos nutrição e saúde pela Universidade Federal da Bahia – UFBA, especialista em segurança alimentar e qualidade dos alimentos, professora de graduação do curso de nutrição da UNIFACS. Nutricionista CRN 5 nº 5614, mestra em alimentos nutrição e saúde pela Universidade Federal da Bahia – UFBA, especialista em segurança alimentar e qualidade dos alimentos, professora de graduação do curso de nutrição da UNIFACS.

 

 

 

Desde o ano de 2017 a Escola de Nutrição/UFBA,desenvolve o projeto de Extensão,“Nutrição, ambiente e saúde no ar: comunicação em saúde e cidadania”, sob a coordenação da Professora Ma.Neuza Maria Miranda dos Santos e colaboração da aluna bolsista do projeto Permanecer, Marianna Menezes Santos. Para participar do Projeto que tem como objetivo apresentar e discutir temas de saúde, em seu conceito ampliado, além de difundir informações científicas sobre nutrição, alimentação saudável e qualidade de vida, basta enviar perguntas ou sugestões de temas.

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *