Cientistas descobrem vírus de 15 mil anos em geleira do Tibete

Cientistas descobrem vírus de 15 mil anos em geleira do Tibete

Pesquisadores descobriram um grupo de vírus de 15 mil anos no Planalto do Tibete, sudoeste da China. De acordo com os pesquisadores, os organismos sobreviveram na região devido ao seu congelamento.

Dessa forma, a descoberta pode ajudar o processo de evolução dos vírus e do clima ao longo do tempo. Isso porque o núcleo de um gelo pode arquivar informações sobre microrganismos e condições atmosféricas do passado, área utilizada inclusive para prever mudanças climáticas futuras.

“Essas geleiras foram formadas gradualmente e, junto com a poeira e gases, muitos vírus também foram depositados naquele gelo. [Há poucos estudos na região] e nosso objetivo é usar e essas informações para refletir sobre os ambientes anteriores nos quais os vírus fazem parte”, escreveu Zhi-Ping Zhong, líder do trabalho conduzido pela Universidade Estadual de Ohio (EUA) e publicado na revista Microbiome.

Contudo, as mostras retiradas em 2015 do cume de Guliya, a quase 7 quilômetros de altitude. Para a condução do estudo, a equipe desenvolveu um novo método que evita a contaminação do material encontrado, provavelmente originário do solo ou de plantas, e não de animais, e em baixa concentração.

Devido ao fato de eles não compartilharem um gene universal, é necessário comparar o material genético através de banco de dados científicos. A análise identificou códigos genéticos para 33 diferentes vírus; desses, 4 já possuem registrados; normalmente infectam apenas bactérias; bem como, houve a confirmação de mais 28 novos tipos.

 

 

 

 

Campanha Vidas Importam 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *