Alerta para o risco do uso das pomadas capilares durante o Carnaval

Penteados estilosos são a cara do Carnaval de Salvador e, para isso, muitas pessoas usam diversos tipos de fixadores, géis e pomadas para manter o cabelo arrumado por mais tempo. Contudo, é preciso cuidado na hora de utilizar o produto. Somente na última sexta-feira (9), cinco pacientes do sexo feminino, com idade entre 24 e 47 anos, solicitaram atendimento nos módulos de saúde do circuito Dodô (Barra/Ondina), devido ao quadro de irritação, secreção amarelada, inchaço e visão reduzida, após exposição à chuva e o produto escorrer para os olhos.

Tendo em vista a captação dos casos nas últimas 24 horas de intoxicação exógena nos módulos de saúde, ocasionados após o uso de produtos para modelar, fixar ou trançar cabelos, a Vigilância Epidemiológica (VIEP) tem se debruçado na investigação dos casos, objetivando a coleta de informações necessárias para controle do risco associado ao produto, bem como o local em que foram adquiridos. Dos cinco casos apresentados nos módulos de saúde, quatro são trabalhadoras informais (cordeiras). É importante destacar que os profissionais de saúde devem notificar no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) a intoxicação exógena para a investigação do caso.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) alerta e orienta à população sobre os riscos do uso de pomadas modeladoras que não são aprovados pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), é importante adotar cuidados como: utilizar apenas produtos aprovados pela Anvisa; ler atentamente o rótulo antes do uso; seguir atentamente as orientações do fabricante; e lavar imediatamente com água corrente, por pelo menos 15 minutos, se o produto entrar em contato com os olhos.

Em caso de verificação da presença e/ou utilização de produtos não autorizados, pode ser utilizado o 156 – ouvidoria do município de Salvador, ou entrar em contato com a Vigilância Sanitária através do e-mail: vigilanciasanitaria@salvador.ba.gov.br.

A vice-prefeita e secretária da Saúde, Ana Paula Matos, destaca o trabalho da Vigilância Sanitária na fiscalização dos estabelecimentos que vendem o produto “Nossas equipes da Vigilância Sanitária estão desde o ano passado, quando a Anvisa emitiu o alerta dos danos causados por essas pomadas, fazendo a fiscalização e remoção dos produtos que não são seguros à à saúde, mas o que acontece é que as pessoas ainda tem o produto em casa e acabam usando, então a gente pede é que não use, leia a rótulo para se certificar de que não haverá danos à saúde, principalmente dos olhos.”

Secom- PMS

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências.Apoie e compartilhe